26 de set de 2009

Da poetisa e da "menininha"

Tive o enorme prazer e privilégio de conhecer pessoalmente a poetisa Flora Figueiredo essa semana, em um Serão Literário em Ribeirão Preto.
Ao final de sua declamação, pude entregar a ela um poema que fiz em homenagem às minhas poetisas prediletas, Da poética feminina, que ela recebeu com uma gentileza singular, agradecendo-me com um "muito obrigada, menininha!" (às vésperas dos 27, esse "menininha" soa como um acalento... rs).

Transcrevo aqui o poema Vida, um dos meus preferidos:

Na dúvida, faça.
O risco faz parte.
A graça está
em tentar,
em vez de sentar e assistir;
o mundo está
em esticar-se todo para atingir;
o mundo está
no desafio da interrogação.
E porque não?
Entre na festa,
arranque a capa,
morda a maçã.
Desate o cinto
para voar livre pelo amanhã,
ainda que ele seja um labirinto.
deixe o ID rolar
Nesta arte viva de arriscar,
cônscio e devoto.
Pois que viver
não é entrar no mar onde dá pé,
mas mergulhar com fé no maremoto.
Flora Figueiredo

Para ver um vídeo que fiz há um tempo com esse texto, cliquem aqui.
(atentem para o sotaque!, mas relevem... rs)

Para conhecer mais o trabalho de Flora, acessem www.florafigueiredo.com

21 comentários:

Wania disse...

Parabéns, lindo post!

Lindo maremoto de emoções encontro aqui...
Da Vida de Flora Figuieredo,
Da poética feminima da menininha Talita!

No vídeo, o teu sotoque imprime a meninice ao poema que um dia todas ELAS tiveram, muito lindo!!

Bjs

Rafaela Figueiredo disse...

rsrs sotaque é td de bom!

compartilhemos sempre! :)
e pra dialogar:

"Quem passou pela vida em branca nuvem,
E em plácido repouso adormeceu;
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu,
Foi espectro de homem, não foi homem,
Só passou pela vida, não viveu."
FRANCISCO OCTAVIANO

besos

Ni ... disse...

Realmente ela escreve muito bem...!

Beijo

Ps: Não entendi o seu comentario... :-0

Mahria disse...

Que sorte a sua "menininha"...

Bjinhos em ti
Mah

Adriana Karnal disse...

TAlita,
realmente,lindo post...a poesia da Flora é ótima e é sempre bom termos essas interações para aliviar a alma...mas saiba, sua posesia não é de menininha não!

Ricardo Valente disse...

realmente muito bom... não conhecia!
beijo!

NDORETTO disse...

Você sempre tão agradável!

Apareça mais vezes, anote o novo endereço:


http://poesiarapida.blogspot.com

Neusa Doretto

pela
poesia
prática

Lara Amaral disse...

Gostei do poema, Talita, e do sotaque, é claro. Sou fã de sotaques, de diferenças que só enriquecem!
Beijos.

Paulo Rogério disse...

Talita, achei muito importante a sua homenagem. É sempre bom cultivar o respeito aos verdadeiros poetas, e de qualquer geração. São os ídolos mais próximos do ideal, e com quem menos nos decepcionamos. Um grande beijo!

Mônica disse...

Que legal essa oportunidade e o fato de ela ser tão acessível!

Adorei o poema, mas não consegui ver o vídeo.

Bjs

Renata de Aragão Lopes disse...

Menininha,

também adoro Flora Figueiredo!
Tenho dela, sempre por perto,
a belíssima obra "Chão de Vento".

Imagino a sua felicidade
em conhecê-la...

Depois, com mais tempo,
voltarei para assistir ao vídeo.

Um beijo!

Marcos Satoru Kawanami disse...

vige, se cê concorda com a Soneca, joiou!

Tata disse...

lindo. deliciosas feminilices.
bjo!

Talita Prates disse...

Wania, obrigada! Sim: com certeza elas tiveram!

Rafaela, gostei muito do diálogo! :)

Ni, acho que fiz confusão. Obrigada pela visita.

Sorte mesmo, Mahria! rs

Adriana, quisera pensar ainda como uma "menininha"... rs. É tão mais fácil a vida na meninice, não é?

Ricardo, é bom sim!

Tá anotado, Neusa. Grata pelo "agradável"! rs

Ahhh, Lara, valeu!

Sim, Paulo: nosso respeito e reverência aos cuidadores da palavra!

Mônica, foi muito legal sim! Pena você não ter conseguido ver o vídeo... :(

Foi felicidade mesmo, Re! Uma emoção imensa! Volte sim!

Sim, Marcos/Bonner, concordo com ela! rs.

Tata, muita feminilice! rs

Obrigada a todos pela visita e comentários! Bjo grande.

Rafaela Figueiredo disse...

talita - preciso de um apelido pra ti, não curto chamar ngm pelo nome "/ - ok, menininha rs,
se o choro for de identificação... chore, pois!
se for de... medo/dúvida/angústia/descoberta (!), idem!
se for de 'momento-sensibilidade-mode-on', ibidem!
o choro tb é uma forma de expressão... q ñ só o corpo entende. ;)

besos

Úrsula Avner disse...

Oi Talita, muito bonito o poema da Flora e o seu blog é um encanto ! Que bom saber que você também é psicóloga e escreve poesias... Agradeço o carinho de sua visita e interesse em seguir o blog. Voltarei depois com mais calma, para conhecer melhor seu espaço. Bj.

renata disse...

que delícia! pequenas surpresas, grandes magias.

beijocas, bonita.

Sandra Ribeiro disse...

Que poema lindo...
E lindo é também o teu espaço aqui, parabéns pela sensibilidade e beleza!

Pedro Paulo disse...

Olá Talita! Parabéns pela homenagem; por ter conhecido alguém que tanto admira.

Vi o vídeo, muito bom! Também me fez pensar como é curioso essas coisas de sotaque e expressões regionais, como o caso do meu mineiríssimo "trem" e "uai".

Melhor ainda foi o rumo que o vídeo me levou. Estou escrevendo pra você ao som de suas mãos em "Apenas uma canção de amor" (Rosa de Saron) e "Apenas mais uma de amor" (Lulu Santos). Parabéns! Muito bom! Sem saber, arrumei um ótimo jeito de começar o dia. =)

sopro, vento, ventania disse...

sabe, Talita? Você tem a doçura da sua poesia no seu sorriso. Que Deus (ou forças boas do Universo ou Bom Universo ou o equivalente que você quiser) mantenham em você toda essa poesia viva em sua vida, sempre.
bjs.
Cynthia

Nydia Bonetti disse...

Que beleza este poema de Flora,
Talita.

Mas que você parece uma menininha, parece. Embora faça poesia de gente grande... :)

Beijos, querida.

 
;