23 de set de 2009

Do desabafo


Que espécie de poetisa
(indigna)
sou eu
que, às vezes,
não se sente capaz
de escrever
um único verso
digno?

Se escrever é maldição que salva
(como pre-escreveu Clarice),
não fazê-lo é benção nonsense.

Se a palavra é meu domínio sobre o mundo
(como pre-sentiu Clarice),
não tê-la é sentir-se dominada pelo nada.
t. prates

36 comentários:

Talita Prates disse...

Sim, estou em crise criativa.
Se eu "sumir", já sabem... rs.

bia martins disse...

oiii...
nem some, agora que estou por aqui, rs.

um bjo flor ^^

Raphael R Barbosa disse...

Da espécie de poetisa
(digna)
és tu
que, nunca,
se rende a
escrever
um verso qualquer
indigno!

Raphael R Barbosa disse...

Escrever por escrever é relativamente fácil. Ah! Vou fazer um poema por dia, um texto por semana e um livro por ano... Improvável que seja um belo poema, um lindo texto ou um bom livro.

As palavras podem ser alimento pra alma, mas não é por isso que minha alma vai engolir qualquer coisa.

Por isso entendo a crise criativa de quem não se rende a escrever qualquer verso, em quem guarda uma poesia inacabada até achar a melhor palavra, a melhor rima, o melhor metro e o melhor ritmo.

Luciane disse...

Digno é re-conhecer nossas incapacidades e nossas barreiras diante de nós mesmas... não te preocupa...deixa que o nada um pouco te domine porque o mundo já é teu! Beijo querida amiga!

tai do nascimento disse...

se 'isso' que saui ai em ciam é uma crise...
rsrs

todos passamos pos isso, =\

Lara Amaral disse...

Sei como é... Mas não há problema, pode demorar, estaremos sempre aqui de qualquer forma. Beijos.

Wania disse...

Talita, por termos a palavra é que somos dominados por ela...
Um verdadeiro cabo de guerra, às vezes pra cá, às vezes pra lá!!!

Bonita a tua percepção poética do “jogo”.

Bjs

BAR DO BARDO disse...

Relax, brô! A fonte nunca seca, mas às vezes entope... Rsrsrs.

Boa meditação, Talita!

marinaCavalcante disse...

Isso acontece mesmo, calma! Rs a
As palavras são mágicas e nunca deixam de habitar-nos por completo.
E que felicidade usar a "falta de inspiração" como inspiração, não é?
Rs

Um abraço!!!

Ricardo Maciel disse...

Puxa vida... e é porque você não está inspirada!
Imagina se estivesse! =D

Renata de Aragão Lopes disse...

Talita,

aposto que esta crise
até já passou!!!

Todos que escrevem
se deparam, vez ou outra,
com este dilema:
que espécie de poeta
sou eu?

Eu lhe respondo:
é uma que agrada! : )

Um beijo.

Mônica disse...

Ultimamente eu também não as tenho, o nada me dominou...rs
Bjs

Edith Janete disse...

Esta semana postei no meu blog um pouco de Blanchot:
Enquanto vivo, sou um homem mortal, mas, quando morro, cessando de ser um homem, cesso também de ser mortal, não sou mais capaz de morrer, e a morte que se anuncia me causa horror, porque a vejo tal como é: não mais morte, mas a impossibilidade de morrer." (BLANCHOT, 1997, P. 324)
Essa impossibilidade de morrer era a impossibilidade de escrever, pois cada escrito é uma morte. Mas escrevemos também para não morrermos. A escrita sempre estará viva!
Amo teus escritos e amo Blanchot
Continue!!

Fabio Rocha disse...

Não se preocupe, passa com o tempo...

Comigo o que ajuda é ler muito, ver filmes que toquem, músicas, quadros, qualquer forma de arte.

Beijos

marjoriebier disse...

E tb foi Clarice quem disse que ser poetisa era frágil demais para ela. Era poeta, das boas, e não aceitava ser tratada com tanta delicadeza.

Ficou lindo!

Paulo Rogério disse...

Talita, a primavera lhe dará um milhão de novos motivos...

Paulo Rogério disse...

Ademais, junte frases esparsas de seu diário. Ou descontextualize outras ouvidas de próximos ou estranhos. Inspire-se no que estão escrevendo seus amigos (mesmo nos comentários)e seus poetas de cabeceira. Divida ao meio algum poema antigo. Uma palavra descoberta no dicionário também faz rima. Ou mande tudo às favas. Só o verdadeiro poeta tem a liga.

Gêsa disse...

Sempre temos esse dias, onde a criatividade nos foge mais mesmo neles conseguimos escrever coisas bonitas como o texto acima.

beijoo

Ariadna Garibaldi disse...

Olá, querida!

Quem de nós já não viveu dias assim, em que as palavras se escondem, fogem somem? A inspiração é uma menina levada, às vezes foge e passa dias distante, como se tivsse partido para sempre, porém, não mais que de repente, ela volta: Linda, fagueira, cheia de idéias e com ela todas as palavras renascem, vestem-se de novas e voltamos a escrever. Este é o tempo da Fênix, ou da crisálida, se preferir. Logo renascerá borboleteando em verso e prosa.

Beijos mil

Ariadna Garibaldi

Tiago F. Moralles disse...

Na prosa a gente chama de branco literário.
Mas na poesia é mais bonito.

Talita Prates disse...

Nossa... uau: quanta "solidariedade poética"!
Obrigada, queridos, pelas consolações, dicas e partilhas.

Um bjo carinhoso a cada um de vocês.
=)

Talita.

Julio César Carvalho disse...

"Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras..."

Sentir-se digna, indigna, dominada ou dominadora... condição, consequência inevitável.
Significar é perder e encontrar. Quem se lança a tal proeza mergulha num universo de interrogações e de exclamações!!

Primavera chegou e com ela novas inspirações!!

Belíssimo!! gde bjo!!

Marcelo disse...

Só os poetas sabemos o que fazemos por um único e simples verso.

meus instantes e momentos disse...

a poesia está em nós,escreve-la ou não, apenas um detalhe....
Maurizio

Rafaela Figueiredo disse...

entendo a crise, Talita... [mas tá bonito este tb! ^^]
é um hiato - como dizia clarice - positivo para nós todos! =)

*ai, estamos clariceanos deveras. rs

besos

[ rod ] ® disse...

bela inspiração moça... o doce fervor da Clarice... o poeta sente encravado as demandas do seu coração... bjs.

Lai Paiva disse...

Talita querida, até se achando ausente de palavras, versos, rimas, vc é tão impecável na escrita... Não se preocupe!

Nydia Bonetti disse...

talita

deve ser o tempo. :) ando assim.

mas passa, espero. não sei mais viver sem poesia... beijos

bom fim de semana!

renata disse...

faz parte estalar pensamentos, né?
eu até gosto.

beijocas!

Clara Gontijo disse...

Talita! Que lindo seu cantinho! Adorei os textos, as imagens do site, tudo. Obrigada pela visita, foi bom me conduzir até aqui :).
Acredito que criatividade ou se tem ou não se tem, e com certeza você é uma pessoa cheia dela! O que lhe falta talvez no momento seja inspiração, não? acho que é também o que me falta... foi por isso escrevi aquele texto rs
Tenho certeza que não vai sumir! isso passa logo, se é que já não passou :)
Tanta gente aqui cheia de carinho contigo e com seus textos... Aguardo novos post! :) sucesso!

Du... disse...

Ainda não sei o que é pior o vazio , a dominação desse nada a dizer , ou ter o muito a dizer , mas nada sair rsrs bela harmonia entre a imagem e o texto e dentro do contexto a imagem complementa que se sentes amarrada por nao conseguir fazer o q mais sabe e gosta , beijos

Caio Rudá disse...

Que espécie de poeta? Da que me agrada...

tonhOliveira disse...

É bom assumir não,
a crise passa!

Muito bom!
Beij♥s!

pensar disse...

Aham tbem passei por ela, mas passa.bjs

Gauche disse...

Não que todos estejam prontos para carregar todo peso da palavra poeta, mas que todos que se aventuram pelo mundo das Letras, de modo mais estreito, têm esses momentos, ah!, isso tem. Gostei desses versos confissionais, mas se você aceitar um palpite de quem não sabe nada, creio que se você não indicasse a intertextualidade deles, ficaria mais rico. Deixe que nós, leitores, a percebamos.

Um abraço apertado, Talita.

 
;