18 de set de 2009

Da justificativa

: que ela espera
o dia
- grande dia!
em que o fato
notável (quase mágico)
justificará sua vida.
(aprenderá - em tempo
que o Sentido
- maior
não vem de fora?
, nem veste trajes de pompa?)

[intriga-me
o quanto de vida
se perde na espera de:
]
t. prates

"Então já estará cansado, as casas, ao longo da rua,
terão quase todas as janelas fechadas,
e as raras pessoas visíveis lhe responderão
com um gesto desconsolado:
o que era bom ficou para trás, muito para trás,
e ele passou adiante, sem dar por isso.
Ah, é demasiado tarde para voltar,
atrás dele aumenta o fragor da multidão que o segue,
impelida pela mesma ilusão,
mas ainda invisível, na branca estrada deserta."
("O deserto dos tártaros", Dino Buzzati)

Imagem daqui.

33 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Que lindeza, amiga!

Um poema que foge
um pouco ao seu padrão
- ou o seu padrão
é não seguir
qualquer deles? (risos)

Serviu-se da pontuação
de forma bem ousada:
dois pontos e vírgula
no início das falas;
parênteses e colchetes,
um deles perdido
no último verso...
Tenho dificuldades
de assumir uma rebeldia dessas!

E que conteúdo riquíssimo!
A porção de vida
que é perdida
na espera.

Espera
ou esperança?

Seu dia
- este mesmo que aguarda -
chegará pra lhe justificar
toda a existência! : )

Um beijo!

NDORETTO disse...

Olha,hein,nada acontece na alma sem uma cutucadinha externa...eheeh

Gostei imenso.

bjs
Neusa

NDORETTO disse...

Minha avó morou em Cajuru,íamos muito lá no sítio...Eu sou de SOROCABA,com muito orgulho!

bjs
Neusa

Ariadna Garibaldi disse...

Tudo o que posso dizer: Belíssimo!

Para ousar não é preciso apenas ter a coragem, mas, é imprescindível saber s medida e, menina, você sabe! Parabéns! Eu adotei!!!!

Beijos mil


Ariadna

Lou Vilela disse...

Belo e criativo arranjo para reflexivos versos, Talita!

Beijos

Ni ... disse...

Sua forma de expressão é perfeita...!

Parabéns...

Beijo

Lara Amaral disse...

Por pensar que esse fato que mudará tudo estará tão claro, o perdemos. Ele muitas vezes é tão sutil...
Seu poema, como sempre, cheio de verdades bem ditas.
Beijos.

Talita Prates disse...

Re, "padrão"? É, amiga, acho que o meu padrão deve ser a falta de! rs.
Inspirei-me em Clarice para brincar com a pontuação: estou lendo "Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres", que faz isso o tempo todo.
Muito grata por tua apreciação sempre bem-vinda, querida. Bjo grande.

Neusa, talvez "cutucadas". Mas o mais importante tá dentro, tem que achar dentro. Obrigada! Abraço imenso!
PS: Cajuru é lindo, né? Gosto daqui. ;)

Ariadna, ousar nas palavras chega a ser fácil, não? Difícil é ousar na vida... Tenho tentado! Obrigada pela partilha. Mil bjos!

Lou, que honra te ter por aqui! Mto obrigada pela visita e comentário! Bjo!

Ni, valeu! Creio que todos almejamos a "perfeição". Se vc acha que a expressão ficou perfeita, fico imensamente feliz!

Larinha, sutil, verdade! Temos que ter olhos simples para reconhecê-lo. Obrigada por tua visita sempre frequente. Bjo, querida!

Edith Janete disse...

Siiiiiim. Muito lindo o que escreveste, é a grande descoberta da maturidade.Se todos conseguissem colocar o foco em si...
Eu não teria pacientes..ui!
Beijinho,

BAR DO BARDO disse...

Talita, isso é muito bom! Não ficaremos esperando...

Obrigado!

Paulo Rogério disse...

Sua poesia é instigante, e nos induz à reflexão, sempre. Com efeito, Talita: quanto de expectativa pomos em elementos externos, no outro, quando só a nós nos cabe condicionar a nossa própria história! É frustrante chegar a um dado momento, e descobrir o quanto se enganou com as próprias ilusões. Haverá como recomeçar?
Bjo!

Wania disse...

Sempre é tempo para aprender que o sentido maior não vem de fora!

Sábias palavras e bonito o teu arranjo entre as palavras e a pontuação. Deu um toque a mais no teu belo poema!

Um bom final de semana pra ti,
Bjs

pensar disse...

Aham, so' existe um tempo-o presente.
Entao seja feliz aqui e agora.bjs e paz

Talita Prates disse...

Edith, nem eu os teria! rs. Vivemos disso, não? rs. Bjinhos pra vc tb!

Henrique, OBRIGADA! Não esperemos, não esperemos! Um bjão.

Sim, Paulo: a nós nos cabe condicionar a nossa própria história! Disse TUDO. Bjo!

Wania, sempre é tempo! Mas que seja o quanto antes possível! Obrigada. Bom fds pra ti tb! Bjo.

Má, só existe Um Tempo. É isso. Bjo, e paz. :)

renata disse...

-
acho maravilhoso dar movimento ao texto!

p.s: tá linda de cabelo novo!!!

beijos!

Rafaela Figueiredo disse...

aah, vi de cara q tinha um 'toque' clariceano por ali! :)
[adoro como ela começa com uma vírgula e termina com outra, tbm - se não me engano.]

este livro é dos mais belos! depois de Macabéa, para mim, Lory foi a personagem q mais me marcou....

boa reflexão! lindo poema tb! como tenho visto sempre por aqui.

beijos e boa leitura! ^^

Hercília Fernandes disse...

Isso também me intriga, Talita!...

Lindos versos. O final?... Fantástico!

Beijos :)
H.F.

Fabio Rocha disse...

Direto, preciso e precioso! Parabéns. Beijos sem espera

Renata de Aragão Lopes disse...

Verdade...
Clarice e suas ousadias... : )

Bom domingo, querida!
Já estou ao aguardo do próximo texto!

Adriana Godoy disse...

Ei, Talita...gostei muitíssimo de seu poema, muito moderno, criativo e belo. Beijo.

Lisa Alves disse...

vc tem um pouco de muito de Clarice! Muito profundo teu espaço

Patrícia Lage disse...

Que lindo...
Tbm me intriga a vida esperando assim.

=)
Meu beijo, moça.

marjoriebier disse...

Inclusive, muita coisa se perde na sala de espera do coração.

Talita Prates disse...

Re, obrigada! Estou adorando o novo visual: assim como o poema, meu cabelo ganhou um movimento... hahaha. Bjo!

Valeu, Rafa! Estou apreciando bastante a leitura. Clarice é diva. Bjo! (ah, o livro começa com uma vírgula e termina com dois pontos)

Hercília, poetisa, obrigada!

Fábio, que eu alcance sempre a objetividade, com precisão e preciosidade! Obrigada pela visita, viu? Bjo.

Re... ele virá... rs. Bjo!

Ah, Adriana, que eu fico mto grata! :D Bjo!

Lisa, isso é um elogio DAQUELES! Uau... Obrigadíssima pela visita; volte sempre! :) Bjo.

Patrícia, é,de fato, intrigante... Que façamos a vida valer a pena, encontrando o Sentido maior sem demora... Outro bjo, moça!

Marjorie, mta coisa se perde... Haverá tempo para recomeços? Bjo.

Julio César Carvalho disse...

Belíssimo!!
Gostei mto da imagem. Riqueza de versos, sentido que se complementa!! Só acréscimo!!
Criativo, perfeito!!
Bjão!!

Lai Paiva disse...

Talita seu talendo pra brincar com as palavras e suas grafias me impressiona. Mil vezes te diria meus parabéns!!! Bjs

Emerson Souza disse...

Que bonito isso.
Bom dia.

Fabio Rocha disse...

Muito legal! Fiz um poema recente com final semelhante. Beijos

Talita Prates disse...

Gente, que correria... Hunf!

Grande, obrigada! Bjo.

Lai, mil vezes te agradeceria, querida! Bjo!

Emerson, valeu! Boa (agora é NOITE! rs)

Fabio, vou conferir! Bjos.

marjoriebier disse...

Taliiita!!! Só agora me deu conta do fragmento do Dino Buzzati!!! Meninadedeus... Deserto dos Tártaros é um dos meu predilteso. Gosto tanto...

Adriana Karnal disse...

São várias ensinuações no teu poema...o que interessa não está lá fora, o grande dia não é tudo, e o passar -passa.Muito sábio,Talita.

Marcelo Novaes disse...

Talita,



Penso que o pior é a ingênua crença do tal "fato notável". Tenderá a ser sempre-o-próximo. Um mais à frente.





Beijos,








Marcelo.

Talita Prates disse...

Marjorie, eu gostei MUITO desse livro, muito mesmo! A reflexão dele é maravilhosa, ainda que assustadora, não?

Boa síntese, Adriana: é isso aí.

Justamente, Marcelo. De fato, é o pior.

Bjo, queridos!

 
;