12 de set de 2009

Das duas faces


> Intertextualidade com a máxima de Heráclito, filósofo pré-socrático.
>> Imagem minha (outras, aqui)

40 comentários:

tai do nascimento disse...

que máximo!

Ni ... disse...

E disse tudo..!!

Beijo

Juan Antonio Torron Castro disse...

Qué historia representan estos escalones, cuantas pisadas habrán pasado por por ellos..... Es preciosa, me gusta mucho. Saludos.-

Kenia Cris disse...

Muito bem escrito. A foto eu já tinha visto. Linda também! Beijoca!

Lara Amaral disse...

Sem contar as vezes que se tropeça, hehe. Aí a decida é mais rápida...
Legal a poesia concreta.

Visitei suas fotos, vc fotografa muito bem. Olhar de poetisa, claro, tem de ser sensível.
Beijos.

Luciane disse...

E será que a escada, assim como o rio, nunca vai ser a mesma? :)
Linda a imagem poética! Beijos!

marjoriebier disse...

Depois que a gente pisa no primeiro degrau, a escada nunca mais é a mesma!

Adorei!

Bj

Wania disse...

Vida: diferentes versões de uma mesma escada!

Muito lindo o teu trabalho poético, Talita!
E teus olhares também, parabéns!

Bjão e boa semana pra ti.

Talita Prates disse...

Tai e Ni, obrigada pela visita! :)

Juan, me gusta mucho tu visita y comentario!

Kenia, senti sua falta por aqui. Que bom vê-la! Bjo.

Lara, e como tropeçamos, não é! Fico feliz que tenha gostados das fotos tb! :)

Lu, creio que, assim como o rio, a escada nunca é a mesma, porque os pés nunca o são. Fluíamos... Bjo!

Marjorie, concordo com vc! Bjo grande!

Wania, a vida é isso mesmo! Grata pela gentileza do comentário... Bjo! Ótima semana.

Rafaela Figueiredo disse...

adoreeeeei!
lindas a exploração concreta e a ideia do ascender/decair como ponte [escada] da vida!

besos, Talita!
buena semana o/

Adriana Karnal disse...

Talita,
é profético e sábio,tive q ler várias vezes para pegar o fio da meada...rs

Adriana Godoy disse...

Um belo trabalho, a gente sobe e desce nesse jogo louco que é a vida. Muito bonito. Beijo.

renata disse...

que beleza!!!
acho lindo ver imagem e texto interagindo. adorei, talita!

beijos...

P. L. disse...

Olá Talita!

Navegando por aí acabei chegando no seu blog. ADOREI! Vc escreve lindamente!

Te convido a conhecer o meu blog, pois, acabei de inaugurar o meu espaço na blogosfera e ficaria feliz com a sua presença.

Beijos e mais uma vez, parabéns pelas postagens! Tudo de muito bom gosto.

Ricardo Maciel disse...

Muito bom!
Fiquei um pouco vesgo na hora de ler, mas a mensagem é interessante.
Parabéns!! XD

[ rod ] ® disse...

Perfeita representação de que a linguagem pode ser expressiva ao pé da letra.

Amei mesmo.

Bjs,







dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Nydia Bonetti disse...

Imensos
os caminhos - tantos.

E levam.
Só não sei se chegam.

A-do-rei teu poema, Talita! E que foto linda.

beijos

daufen bach. disse...

esse teu "quê" de concretismo é maravilhoso! Prefiro a ti à Haroldo de Campos.
Parabéns!
Abraço terno e linda semana.

daufen bach.

Paulo Rogério disse...

Talita, você deu o recado com a doçura e a simplicidade desses versos. A vida é de fato a lição da escalada. Da queda, do apoio, do abraço, da solidariedade e da vitória. Lindas também suas fotografias.Bjo!

Talita Prates disse...

Rafa, mais do que isso, exploremos a vida! Escrevê-la é tão fácil... rs. Gostei mto do seu comentário. Um bjo!

Adriana Karnal, acho a Poesia profética! Valeu pela visita!

Adriana Godoy, bota "jogo" e "louco" nisso... hahaha. Bjo, querida.

Renata, valeu! Procuro sempre fazer com que eles interajam: fica bem mais completo! Você faz o mesmo no seu blog, hein! ;)

P.L., que gentil! Que bom que gostou, fico tão feliz! Obrigada mesmo. Passarei por lá, me aguarde!

Ricardo, hahahaha, achei tão engraçadinho teu comentário... Pior é quando a vida nos deixa vesgos... rs

Rodolfo:

ao

da
letra!

Tb gosto muito dessa possibilidade... Muito obrigada pela visita. Bjo!

Nydia, eu que adorei tua resposta! :D Bjo e obrigada, querida.

Daufen, tenho mesmo um "quê", mas daí a comparação já é outra história... rs. É vc quem diz... rs. E fico grata, mto grata. Linda semana pra vc tb!

Paulo Rogério, que venha os abraços! Obrigada pela partilha. Bjão!

Renata de Aragão Lopes disse...

Talita,
quanta originalidade!

O poema fala da escada
e é a própria escada:
cada degrau,
uma sílaba!

Simplesmente genial!
Estou orgulhosa de sua criação! : )

Até porque,
não bastassem a forma
e a sonoridade "quebrada",
ele contém uma grande verdade:
o caminho que nos conduz à subida
é o mesmo que nos traz ao chão novamente.
Filosofia pura.

Um beijo, querida!

Marcos Satoru Kawanami disse...

à primeira vista, fiquei vesgo.

tonhOliveira disse...

Gostei deste sobe→ ←desce...
Bela construção!
Beijos!

Lai Paiva disse...

Noossa Talita, que coisa perfeita!!! Adorei a composição, a simplicidade, muito bom mesmo!!!

Solange Maia disse...

Adorei !
Gosto dessa métrica...

E, normalmente entre subidas e descidas encontramos a gente mesmo...

Beijo carinhoso.

Tiago F. Moralles disse...

Concretismo apaixonante.

Caio Rudá disse...

Houve um sujeito que quando perguntado o que era boa poesia, respondeu que era aquela que dava uma inveja tremenda e você queria para si.

Estou com ele. Fantástico!

Beijos.

Talita Prates disse...

Re, obrigada pela força, amiga! Sua "crítica" é sempre necessária, viu! rs

Marcos, e à segunda vista? ...

Tonho, obrigada!

Valeu, Lai! Obrigada por tua visita sempre constante. :)

Solange, é verdade: nos encontramos! :)

Tiago, que bom que gostou! Seja muito bem-vindo, viu?!

Caio, isso acontece comigo tb quando me deparo com um bom poema! Muito grata!

Bjo a todos! Obrigada pela partilha!

sopro, vento, ventania disse...

LIN-DO! Absolutamente, lindo, Talita. Um beijo grande e obrigada pelas visitas recentes. Eu tbm estava com saudades de suas palavras naquele espaço.
Cynthia

Fred Matos disse...

Fantástico, Talita.
Isto sim é genial.
Adorei.
Beijos

sopro, vento, ventania disse...

Esqueci de dizer: eu, simplesmente, ADORO Heráclito. Que grandes e imortais sacadas as que ele teve. Coisas que nós aqui, miudinhos do século XXI, às vezes, não conseguimos entender em uma vida inteira. Eu sempre cito Heráclito em qq trabalho que faça; acho a história do rio, do homem que mergulha no rio não ser o mesmo, e nem mesmo o rio ser o mesmo durante o mergulho do homem, algo, simplesmente, fenomenal. Óbvio, atualmente, mas que, mesmo em toda a sua obviedade, não é compreendida como certeza única e possível do fato de estarmos vivos.
Muito feliz a sua abordagem, e muito linda a sua criação.
bjs.
Cynthia

Renata de Aragão Lopes disse...

A recíproca é verdadeira!

Ps: quero poema novo! : )

Edith Janete disse...

Te achei no blog da Marjorie!! Tu tb és psicóloga, e isto nos torna cúmplices!!!
Muito bonita poesia!!!
Abraço

Marcos Vinícius Almeida disse...

Moça,

Você tem talendo pra isso!

NDORETTO disse...

Quem sabe,sabe! Bobagem! Bom demais,menina!

BAR DO BARDO disse...

Concretismo hoje não é a minha praia, mas aqui você nadou como sereia...

Bom mesmo!

Bisous!

Julio César Carvalho disse...

Fantástico!!
Nossa vida é mesmo um vai e vem, sobe e desce... finalidade é sempre encontro, só resta saber o que!
Adorei!!! Mto significativo!!
Bjão!

Marcelo Novaes disse...

Talita,



Dá-me
[escada em
zigue-zague],
que te
alço...









Beijos,








Marcelo.

Mai disse...

Muito, muito bom!
gosto quando a palavra é quebrada e a lógica cognitiva é surpreendida.

Abraços,

boa semana!

railer disse...

nossa, muito legal como foi feito o poema. e também o que ele diz é tudo de bom e correto.

 
;