25 de jul de 2009

Das partes a e b

a.
Eu queria um poema
que fosse profético.
E que com palavras mágicas
te trouxesse pra mim.

b.
Talvez eu te assuste
com a minha pressa
de querer amar.
Talvez eu me assuste,
caso o teu querer
não seja o de ser
o descanso* que eu procuro.

T. Prates


* "Pode ser assim:
você pra mim?!
Já cansei de andar...
Procurei o meu descanso até te encontrar."
(1+1, Banda Shemah)
Na dúvida entre os poemas,
resolvi postar os dois.

20 comentários:

Lezzie disse...

Talita que coisa mais linda!!! Acho que nós mulheres procuramos esse descanso mais rápido do que os homens né?!

Parecem estar sempre buscando a exaustão!

Beijo querida!

Solange Maia disse...

ah... Talita...

Essa pressa de amar é tão nossa... é tão feminina !!!

Amei.

Beijo,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

Tata disse...

pressa de amar, pressa de viver. às vezes é pressa demais, pra mim...

Bill Falcão disse...

Como dizia o velho ditado, "o apressado come cru". Então, a pressa fica bonita no poema, mas não na vida.
Bjooooooooo!!!!!!!!!

Mateus Luciano disse...

então o que dizer!
só posso dixer que ficou perfeito
pode continuar com a parte c,d etc e torna-lo
profético.....
bom domingo.

Adriana Godoy disse...

Talita, cuidado com a pressa...mas ele á de vir pra você. bj

Talita Prates disse...

Bill e Adriana, obrigada pelo aviso! Sei que é pro bem...
E assumo: ter pressa realmente não é algo bom.

MAteus, obrigada pela gentileza das palavras. Ótimo domingo pra vc tb.

:)

nina rizzi disse...

oi talita, prazer estar aqui também, aliás, obrigada pela visista e comentário, no fim aquilo é mais minha casa e fala mais de mim que outros tantos tudos...

eu prefiro o a e gosto de b, somando os dois dá um T (e eu raro uso maiúsculas). hmmm... a minha língua também queima à pressa :s

ah, sim, eu conheço cajuru. agorinha mesmo tou em franca, talvez na quarta em ribeirão preto...

beijo :)

José Carlos Brandão disse...

Muito obrigado pela visita. Gostei do seu blog.
... Se me estendes a mão, dou-lhe a minha.

Paz e bem!

Bárbara (B.) disse...

Preferi o a...
Mas acho estranho ter preferido o mais alegre.


Beijo meu.

A.S. disse...

Talita..

Teus poemas têm o fulgor das palavras ardentes a a magia das palavras ousadas!


Beijos...

Lara Amaral disse...

Que bom que a minha admiração pelo seu blog foi recíproca.
Vi que alguns dos seus filmes e livros favoritos são os meus tbm, que legal =). Obrigada pelo comentário carinhoso. Abraço.

Kiara Guedes disse...

e a alma, sem lado se embaralha com o coração, consciencia e num embaralhado só, só sabe o amor...
bjs, meus.

R.Vinicius disse...

Talita

"- O que se diz quando palavras fenecem? Sobra o silêncio que toca o poema. O poema está aí com toda a pompa que tem, a luz que ilumina. Falar de amor - quando poetisa, que belo."

Abraço.

Luciano Fraga disse...

Talita,gostei do seu espaço,voltarei.Quanta leveza e lirismo nesse poema,ele é "profético",abraço.

A Magia da Noite disse...

é preciso ser paciente, o amor não se gere pelo tempo comum, vem sem avisar e fica enquanto o soubermos cuidar.

renata disse...

essas coisas moram nas destrações.
acho incrível!

um beijo!

juca disse...

Uau!! Simplesmente Fodástico!!
Vc está cada dia melho!!
Me surpreendo com sua forma simples de expressar o sentido das coisas... bom demais!!

Bjo gde!!

Julio César Carvalho disse...

Fui eu que comentei acima, não sei o que deu aki.. hehehe

Lai Paiva disse...

Talita, também me identifico com essa urgência em amar, aliás, urgência em sentir tudo, vivenciar cada mero sentimento, cada emoção. Gostei muito do que li aqui. Parabéns por tanta intensidade.

 
;