6 de abr de 2009

A tentação



Diante do crucifixo
Eu paro pálido tremendo:
“Já que és o verdadeiro filho de Deus
Desprega a humanidade desta cruz”.


Murilo Mendes. In: Poesia liberdade. Rio de Janeiro, Agir, 1947.

3 comentários:

iilógico disse...

a humanidade não fica parada
não se sente realizada
busca a festa
sem saber onde é
abs. Marcos

reapareça por lá...

http://iilogicowall.blogspot.com/2009/02/cerca.html

Margarida Gonçalves disse...

Desconhecia estes versos ... fortes e verdadeiros!


gostei do blog:)

Renata de Aragão Lopes disse...

Quantas coincidências!

Do "Creio para ver", vim cair aqui. E logo me deparei com um poema de Murilo Mendes, meu conterrâneo, exatamente no tema que desenvolvi hoje em meu blog:
http://docedelira.blogspot.com/

E mais! A imagem que o ilustra é semelhante à que vi, também hoje, em um blog que acompanho:
http://driaguida.blogspot.com/

Curioso, não? rs
Parabéns pelo belo espaço, Talita!
Adorei a colagem postada logo abaixo.

 
;