26 de abr de 2010

Da reta intenção


Ela queria a inteireza dos que se buscam com intenção reta, ainda que tropecem. Queria um olhar puro e perspicaz que reconhecesse a (im)pureza do olhar alheio.

"Decepcionar-se é surpreender-se às avessas", deduzia.
Porque ela é daquelas que, imprudentemente, procura acreditar com toda a sua vontade na bondade do Outro.
Pensava que só o encontro de duas verdades que aspiram a serem inteiras e autênticas (nunca perfeitas e prontas) possibilita o Encontro real de duas almas.
Acreditava na construção dessa realidade em comum, desde que os alicerces não fossem feitos de areia. E que a intenção fosse seja sempre reta. Sempre.
Paredes tortas arruinam a casa.

t. prates

22 comentários:

BAR DO BARDO disse...

O Senhor Buddha nos ensinou o caminho óctuplo. Você acresceu um nono ao caminho.

Beijo!

Lara Amaral disse...

Um olhar com esse "apuramento" é de engrandecer a alma.

Belo, moça bonita!

Beijo.

Flávia disse...

Sou daquele tipo de pessoa que sempre tropeça em sinuosidades. Durante tempo acreditei ter pés tortos, que me levavam aos desencontros. Bom, os meus pés ainda não se corrigiram; os caminhos, igualmente, ainda parecem ser os mesmos. A forma de caminhar foi o que mudou: mantive os tropeções, mas perdi a pressa e as pretensões. Quando me admiti meu próprio ponto de partida, chegar, e não apenas a caminhada, se tornou real.

Um beijo pra você. :)

[ rod ] ® disse...

Falar de você é fácil, por que seu estilo é singular... tens característica e vida própria e por isso cativas tanto!

A decepção é para os fracos! Aos fortes cabe a resiliência doce, sutil e afável. Ao cume da casa o nosso agradecimento ou o desejo de queda urgente.

Um bj do trouxa fã!

Marcelo Novaes disse...

Talita,





Como comentar a "prosa reflexiva", senão refletindo?!

"Porque ela é daquelas que, imprudentemente, procura acreditar com toda a sua vontade na bondade do Outro".


Se ela achar a bondade, tanto melhor. Mas que não a fabrique, onde [e quando] não se encontra...







Beijo, amiga.

Lídia Borges disse...

Um prazer esta leitura.

"Porque ela é daquelas que, imprudentemente, procura acreditar com toda a sua vontade na bondade do Outro".

Tão bom, poder ser assim!

J.F. de Souza disse...

É difícil achar pedreiros confiáveis hoje em dia...

=*

Mirse Maria disse...

Muito bom, Talita!

Como é difícil refletir só no primeiro parágrafo-poético.

Quando a alma é boa, a tendência é acreditar na bondade alheia...até que se decepcione e/ou se prove o contrário!

Maravilhoso!

Henrique e Marcelo, complementaram e bem o poema-prosa.

Beijos, amiga!


Mirse

José Carlos Brandão disse...

Paredes tortas arruinam a casa.
A necessidade de endireitar
o meu olhar e o do outro.
Quem sabe a casa crie asas.

Beijos, Talita.

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Talita...decepcionar-se com as pessoas ainda é um bom sinal...Sinal de que ainda temos algo de puro dentro da gente, algo que não imagina não entende a faceta do outro...
Por outro lado, o encontro de duas verdades só é inteiro quando as duas partes se mostram verdadeiramente como são...sem máscaras, com a bagagem completa...virtudes e defeitos...
Um abraço na alma...beijo

Nydia Bonetti disse...

construções - desconstruções - tenho experiência nisso Talita. são os pequenos detalhes que tornam a casa sólida - mas são imprescindíveis. beijo.

fred girauta disse...

eu não curto o caminho curto, curto o longo.
eu não curto a reta, curto a curva.

bj.

Renata de Aragão Lopes disse...

Tatá,

depois dos 30,
quando nos desfazemos
das lentes cor-de-rosa,
as decepções já quase não doem.
É a bondade do Outro
que passa a nos surpreender...

Beijo, amiga!

Rafaela Figueiredo disse...

podia até ser um soneto: a chave de ouro final tá um brilho só!
"paredes tortas arruinam a casa"...

lindo, Li[nda]!

beijos

Renata de Aragão Lopes disse...

Meu poemeto
publicado hoje
quase que dialoga
com sua prosa!

Pra variar! rs

bia martins disse...

Olá querida...
vim pra uma simples visita
e me deparado com um texto
tão certo e sensível.
Adorei.
O coloquei em um dos meus cantinhos.
Espero que tudo bem.
Dê uma olhada:
http://www.fotolog.com.br/bia_serena

Ahhh e sobre as nuvens de tag.
Está com problemas o codigo.
Espero que volte logo.
Um bjo meu!
:o)

pablorochapoesias.com disse...

Belíssimo e verdadeiro texto! Acredito que ela deva se decepcionar muito, mas vive o que há pra se viver. No fim ela terá experimentado mais as sutilezas que faz grandes exemplos! Minha admiração!

Franzé Oliveira disse...

Ser inteiro.
Nada pela metade.
Ser um bloco.
Concreto puro.
Sólido.
Nada inacabado.
Rigidez.
Não gosto.

Caio Rudá de Oliveira disse...

Não conheço muito da psicanálise, mas não esperaria muito no grande Outro.

A.S. disse...

Talite,

As decepções acontecem quando alimentamos expectativas demasiado elevadas em alguém! Um erro de avaliação acontece muito frequentemente!


Beijos
AL

Julio César Carvalho disse...

Uau!!! :-0
"Decepcionar-se é surpreender-se às avessas..." Total!! A mim faz mto sentido!!
Perfeita reflexão!! Quisera tda intenção fosse reta, a construção concreta... Sofreríamos menos. Expectativas nos passam rasteiras...

Gostei demais!! Bjo!!

Sylvia Araujo disse...

Ah, eu também queria - quero. Sempre.

 
;