30 de nov de 2009

Das 10+1 sílabas


Conto as sílabas poéticas nos dedos
lendo antes um soneto de Camões;
uma sílaba, ora, a mais não é pretexto
pr'eu mudar as minhas grandes pretensões.

De Bocage e de Bilac os sonetos
devorei, atenta às rimas e orações;
uma sílaba, ora, a mais não é defeito
pr'um aluno que tem boas intenções.

A bê á bê a bê á bê já cumpri;
falta agora só cê dê cê cê dê cê
(isso é a coisa mais louca que escrevi!).

É por isso que, aos mestres que já li,
eu renovo meu respeito: namastê!
E a você, leitor: relaxe, pode rir!
t. prates



> Ao mestre Bardo, com carinho.
>> Porque o primeiro soneto a gente nunca esquece (rs).

40 comentários:

Talita Prates disse...

Ebaaaaaa, consegui um tempinho!

:D

Fabio Rocha disse...

:)

A Moni. disse...

Delícia de brincadeira séria! rsrsrs

A técnica é boa companheira, sim. Pena (ou não) que às vezes perca pros sentimentos, que são grandes demais pras sílabas poéticas...

Que bom, o tempinho!!!

i ILÓGICO disse...

talita!!!

Lai Paiva disse...

Talita minha querida, que gracinha, de dar doces sorrisos mesmo!!! Bjs

Talita Prates disse...

Haha, descobri que esse é um soneto com versos hendecassílabos.
Chique demais, sô! rsrsrsrs

Lara Amaral disse...

Vixe, mas tá bom demais da conta, uai!

Hehe...

Beijinhos procê!

Mateus Luciano disse...

S PALAVRAS SE ENCAIXAM COMO UMA ENGRENAGEM GRANDE E COMPLEXA COM ESPAÇOS MILIMÉTRICOS E JUSTOS
UM ESPANTO,UM ASSOMBRO ! BEM ELABORADO.

Mai disse...

O gênio criativo faz assim, insights que driblam o tempo e com a força ígnea da palavra, explodem em poesia.

Abraço e sorriso.

Franzé Oliveira disse...

O poeta é um fingidor, né?

Bjos menina.

Tiago Moralles disse...

Ainda sorrindo.

J.F. de Souza disse...

Gostei do soneto. Bunitim. =)

=*

renata disse...

é lindo observar o aprender.
uma gostosura de sorrisos!

um beijo.

Larissa disse...

"E a você, leitor: relaxe, pode rir!"

Ah, mas desse eu gostei mesmo!
E para constar: ontem (ou antes de ontem?) tentei comentar na sua postage anterior (a da foto do garotinho) porque achei a imagem tão divertida, não resisti. Mas meu computador está travando.. dizem que é problema no HD. Enfim, não consegui. Mas está registrado.
Um beijo

[ rod ] ® disse...

A intenção de quem escreve é representar em verbos um desejo de franca e responsável harmonia... bjs moça.

Rafaela Figueiredo disse...

hahahahaha
ameeei!!!
antes da permissão, eu já tava rindo!
super divertido e criativo!

sabe q eu tb sofro com isso??
q ótimo pra um primogênito, hein?! :)

besobeso, Li

Hneto disse...

As sílabas ainda são a matéria prima de um bom poema.

Caio Rudá disse...

primeiro, tentei dar um jeito no seu dilema. como disse, suba na montanha e parta de lá :D

segundo, acho que sou desconfiado mesmo. não pude deixar de notar uma crítica velada a quem se fia em métricas, rimas etc. de todo modo, esse poema foge um pouco do que estou acostumado a ver aqui. tá descontraído por demais, por isso mesmo que gostei à beça.

terceiro, tava dando uma olhada naquela listinha de filmes e vi lá "volver". por coincidência, acabo de assisti-lo, e me ficou a última frase /los fantasmas no lloran/. topa o desafio de versar isso? rere

beijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

E rio
com muito gosto...
Delícia de poema!

Um soneto
que questiona
as prisões
da própria métrica!

Bravo, Talita! : )

Wania disse...

Talita querida!!!

Tá lindo, adorei teu soneto!


Bela homegamem ao Henrique!


É verdade o primeiro soneto a gente nunca esquece...rsrsrs, levei horas e horas fazendo o meu primeiro e, por enquanto, filho único... contando e contando as sílabas sem parar...rsrsrsrs!!!
Numa usei tanto a matemática para escrever algo...rsrsrsrs!!!!!!

Lindo dia pra ti, Bjão!

Adriana Godoy disse...

Adorei seu exercício para soneto e acabou que fez um assim, inteirinho e bastante interessante. O Bardinho deve estar orgulhoso. Beijo.

Talita Prates disse...

Fabio, :) pra vc tb. rs. Bj.

*

Moni, tomara que consigamos conciliar ambos sempre que possível! Obrigada, querida. Um bjo.

*

'Cosssssssssss!

*

Lai, querida, que bom que gostou! :D

*

Lara, cumádi, gostei demais de brincá cum isso, sô! Bju!

*

Ô, Mateus, que gentil comentário! Obrigada. :)

*

Mai: a explosão é uma boa imagem mesmo. Obrigada pela visita, e um bjo.

*

Franzé, o poeta é tanta coisa... rs. Bjo!

*

Tiago, sorriso bonito (micro?)! :)

*

J.F. de Souza: obrigadinha! Bj.

*

re, aprender é sempre bom, né! bjo, flor.

*

Larissa, estou muito honrada com tua visita. Fico feliz em saber que vc gostou desse! E que gostou da foto também. Volta sempre, viu? Um bjo.

*

Rod, e muitas vezes há desvios entre intenção e harmonia, não? Bjo, moço.

*

Rafa-lóri, pode rir sem permissão mesmo! rs. Espero que venha outros "bebês"... hahaha. Beso.

*

Hneto, se são. Só são! Bjo.

*

Caio,
1)que prestativo: tentar dar uma solução pro meu dilema! rs. Valeu! :)
2)então... ficou descontraído mesmo, não é? E geralmente eu sou tão sisuda... mas há esperança! rs. Quanto à crítica: juro que não foi proposital. Não intencionei ser irônica. É que sempre escrevi de forma livre, e obedecer a regras métricas/de rimas foi um experiência nova, e muito boa (mesmo engraçada!). Me diverti, garanto.
3) opa! 'vamo' lá! Tento daqui e vc tenta daí?
Bjo, psi. :)

*

Re, amiga: seu "aval" é muito importante pra mim! :D
Como disse ao Caio, é mais auto-crítica do que outra coisa: só tentei não me deixar abater pela sílaba que estava "sobrando"! rs. Um bjo, querida.

*

Wania, chega a ser "bonitinho" (além de engraçado) a gente contar com a ajuda dos dedos, né. Hahaha... parece criança qdo está aprendendo a fazer continha. Que bom que gostou, querida! Eu me diverti pra caramba! Um bjo carinhoso. :D

*

Adriana, foi mesmo um exercício! Na primeira tentativa, há um tempo atrás, não consegui chegar ao fim; mas dessa vez ele ficou assim, "inteirinho". Um bjo, poetisa. Paz.

Marjorie Bier disse...

Sou poeta sem rima, sem métrica, sem medida de mim.

Sou poemeu. Uma canoa furada nesse mar que também é teu.

Um beijo

Caio Rudá disse...

Ok, Talita. Vou tentar virar um Almodóvar dos versos, e você, a belíssima Penelope Cruz.

Pedro Paulo disse...

Olá querida. Adorei o exercício com a forma. Achar a palavra exata é um exercício que devemos cultivar no dia-a-dia. Você imagina que meus dias andam corridos nessa reta final de curso, mas saiba que passar os olhos por aqui, ver sua busca pela palavra exata, ver e sentir toda essa sua sensibilidade é uma delícia. Seja em letras digitais ou na sua própria letra (você nos mostra ela quando escreveu um poema num papel e tirou foto) ou nas suas fotos com expressões tão únicas. Obrigado por ser assim.

Adriana Karnal disse...

TAlita,
que lindo!!! eu não ri no final não, apenas sorri de felicidade,adorei! Logo me lembrei do bardo quaqndo comecei a ler,rs.

Talita Prates disse...

Má, poetua: tu és linda, flor! Um bjo, amiga.

*

Caio, fechado então. Penelope? É só passar muito lápis preto nos olhos e fazer muito beicinho?! rs. (to zuando, gosto dela). Vou rever o filme primeiro, ok? para entrar novamente no clima "almodovariano". Aí te aviso. Um bjo, psi.

*

Pedrinho, vc é MUITO querido! Obrigada pela gentileza constante. Um bjo. ;)

*

Adriana, querida, que bom que gostou e sorriu! Um bjo grande!

sopro, vento, ventania disse...

Talita,
você é inspirante (e 'pirante' também), sabia?
lendo sua sabedoria "essa foi a coisa mais doida que escrevi", só posso dizer o quê? que desejo que você continue a escrever suas loucuras para que possam evocar coisas mais doidas ainda em que tiver o privilégio de lê-la!
um beijo

Nydia Bonetti disse...

Talita

Arte difícil, a dos sonetos. Admiro, mas nem ouso. :)

Namastê, pra vocês! E meu respeito. :)


Beijos

Marcelo Novaes disse...

Talita,




Muito bom!


E com os devidos respeitos ao Henrique Pimenta.





Beijos, colega.










Marcelo.

sopro, vento, ventania disse...

Talita,
dialoguei com esse seu poema lá no meu cantinho, desejando o mesmo para criaturas caras à minha história, como você.
bjs.
CYnthia

Gisele Freire disse...

Talita!
Que legal teu soneto!
Adorei, aposto que o Henrique vai gostar!
bjs querida
Gi :)

BAR DO BARDO disse...

Talita: EXCELENTE!

Misto de humor e koyza séria, do jeito que o Bardo faria, penso eu.

Após o primeiro soneto, que nunca nos esqueceremos dele, sede e forme por um segundo, um terceiro...

Talita, não nos deixará morrermos à míngua, né?!

Obrigado pela dedicatória.
Beijo!

- Henrique Pimenta

Renata de Aragão Lopes disse...

Como de costume,
vim reler o poema
e ler os comentários!

Beijo! : )

Talita Prates disse...

Cy, você é muito gentil! Repito (não me canso!): sou tua fã. Um bjo ENORME!

*

Nydia, querida, namastê pra vc tb. Ousar não custa... rs. Obrigada por vir! Bjo.

*

Marcelo, colega psi, que bom que gostou! Um bjão!

*

Gi, se a "musa" gostou, acho que o "mestre" ia gostar também! Ebbbaaa! Bjo, querida.

*

Mestre Henrique, sonetista-mór, fico MUITO feliz com esse "excelente". Repito: obrigada pela inspiração. Espero, sim, que venham outros... Um bjo, Henrique. :)

*

Re, vc não existe:
é gentileza que transborda!
Obrigada, amiga! Ótimo fds. :)

José Carlos Brandão disse...

Talita, desculpe a demora. Mas estou aqui admirando o seu soneto. É só uma experiência? É criação. Tem beleza e tem graça. Tem a autocrítica necessária para se poder escrever. Siga em frente - sem ligar muito para o que os outros pensam, mas pensando no que você pensa. Aliás, desconfie dos outros e de você. Isso já é boa parte do caminho andado. Evoé! Viva!

Me lembvro de Drummond:
"Eu quero compor um soneto duro
como poeta algum ousara escrever.
Eu quero pintar um soneto escuro,
seco, abafado, difícil de ler." (...)

Todos decassílabos errados, que chocam ouvidos exigentes, mas feitos por um grande poeta - que se torna maior ainda com essa brincadeira irritada.

Em frente.
Um beijo.

susannah disse...

Muito divertido! Um soneto ABC...cdc, dcd...
Bjs!

Cesar Veneziani disse...

Ume delícia de leitura!
Já coloquei seu blog em meus favoritos!

natalia disse...

ja add no meus favoritos, mas queria que me dessem uma rima sobre a talita,nao e vcs talitas nao. e outra quero que me arrumem uma rima que fala muito mau dessa pessoa ok?
muito obrigada
bjs...

Anderson Meireles disse...

Belíssimo soneto. É o retrato da alegria disciplinada!
Abraço!

 
;