21 de ago de 2009

Da nudez outra

Quero ver-te nu,
despido das roupas que te visto -
alheias da tua realidade
e essência.
Quero ver-te na tua exatidão
e profundidade,
sem as lentes distorcidas
de expectativas que são minhas.
Quero encontrar-te
no que esse encontro pode ter
de mais inédito e único.
Quero a nudez da tua essência -
só despidos
nós nos encontraremos de verdade.
T. Prates

46 comentários:

Rafaela Figueiredo disse...

que maravilha de poema!
sensual e espiritual ao mesmo tempo... - a nudez do corpo pode alcançar, pois, a da alma!

um abraço!

Emerson Souza disse...

Muito profundo, como o amor costuma se manifestar.
Bjus.

AC Rangel disse...

Líndissima esta nudez poética, que expões toda intimidade do amor e da verdade, que não se envergonha de estar à mostra.
Gostei muito.
Beijo.

pensar disse...

Que lindo, e' isso ai mesmo.E so' assim.
Bjs

Marcelo disse...

Escrever sobre relacionamentos sem cair em lugares-comuns é uma coisa rara. [:)]

Você conseguiu.

Julio César Carvalho disse...

Lindo poema!! Nudez que as vestes não cobrem, verdades ocultas. Encontro sem par, ideal!! Essa seria uma realidade perfeita!
Perfeito!!!

Mto bom!!
Bju!!!

i ILÓGICO disse...

vaiiiiiiiiiiii litinha!!!
lindo viu?
beiju-te na \paz

Renata de Aragão Lopes disse...

Está de unhas vermelhas, Talita?
Contaminou-se pela "Lascívia"? (risos)

Que nada...
O poema vai muito além disso.
"Quero ver-te (...)
sem as lentes distorcidas
de expectativas que são minhas."
Como é difícil enxergarmos o outro
sem a projeção até inconsciente
de nossos anseios...

Um lindo poema, querida!
Bom sábado pra você.

Ni ... disse...

Sempre venho me abastecer com tuas palavras..

Lindo texto...

Beijo

Ricardo Valente disse...

Essa projeção no outro... se chama... paixão!
Passa e vem (ou não) o amor.
Muito bom post!
Beijo!

Talita Prates disse...

Uma ótima perspectiva, Rafaela! Gostei! =)

Emerson, ainda to dando risada do teu Hotgirl... rs. Muito obrigada por tua visita! ;)

AC Rangel, mto gentil teu comentário. Penso que não cabe aos poetas (e aos aspirantes a) a vergonha.

Mariana, só assim!

Marcelo, que bom que julga assim! Fico muito grata e feliz.

Julio, acho que essa é uma realidade POSSÍVEL!

'Cos, vouuuuuu! Vou sim! Basta de coisas rasas! rs. Bjo-te na paz, tb!

Re, as unhas não estão vermelhas, mas o coração sim! rs. Uma delícia, esse coração lascivo assim!
"...enxergar o outro sem a projeção até inconsciente de nossos anseios...": BINGO, teu comentário! Foi exatamente pensando nisso que escrevi esse poema. E foi exatamente na sessão da minha última análise que esse pensamento foi plantado em mim! rs

Poxa, Ni, que honra! :)

Ricardo, penso que essa projeção no outro pode se tornar "ilusão", o que não é tão bom... Penso também que o amor só vem se todas as ilusões forem desmascaradas. Bjo!

Lara Amaral disse...

É, parece que há camadas que não saem. Acabam encobrindo tantas coisas...

Muito bonito, Talita.
Beijos.

AC Rangel disse...

Voltei. Para agradecer tua visita ao meucantinho. Dizer que ela me deixou muito envaidecido. E dizer que vir aqui é uma delícia para a alma...
Beijo

Marcelo disse...

Talita,
olha, nem sei se é possível seguir meu blog ou não. O que aparece pra você?

nane-chan disse...

"...e o amor se concretiza com liberdade e coragem."

Parabéns pelo blog *-*

Mônica disse...

Gostei do poema, dá margem a interpretações diversas.
Bjs

Ricardo Maciel disse...

Muito bonito!
Quanta imponência! "Quero, quero, quero..."

Passa uma força, mas com sensualidade.
Parabéns.

Marcelo disse...

Pois é. É aquele recurso do Blogger de seguir, não é?

Não sei porque não dá para seguir, deveria estar tudo certo. Eu não alterei nada no meu blog, de XHTML.

Será que é na configuração do Blogger? (Eu fiquei um bom tempo sem ativar meu blog, algumas coisas mudaram).

Fora isso, você tem msn? [:)]

E obrigado por suas palavras sobre o meu poema. Ainda estou aprendendo a lidar com as palavras novamente, havia quase oito meses que eu não escrevia.

bordadosdemim disse...

Que poema lindo! Essa é a nudez que realmente importa e como é difícil olhar o outro sem deixar que as nossas expectativas interfiram em nossa visão. Amei!

Beijos

Ariadna Garibaldi

Pedro Paulo disse...

Para amar verdadeiramente, só por este caminho mesmo (e são muitas as veredas). Por isso, maturidade, experiência e abertura para o insólito são pré-requisitos. Enquando isso, vamos desmistificando, desiludindo e transpondo o que nos limita e impede de amar integralmente. É a vida e seus aprendizados. hehe. Bem poético mesmo Talita; literalmente poético...

P.S: Li 2 livros do Kafka esses dias e ficou aquém das minhas expectativas. Mas "O Processo" é sim muito bom. Até literatura é questão de gosto, né? Por isso, sou mais o Tolstoi e Guimarães Rosa... hehe.

Adoro seu espaço, sempre que possível passo aqui! Beijo!

Igor Mascarenhas disse...

Muito lindo isso, tomo posse da sua poesia.
Era tudo que eu precisava ouvir...

meus instantes e momentos disse...

muito bom, parabens pelo post.
maurizio

Talita Prates disse...

Lara: talvez com esforço e muita Verdade, elas saiam... Bjão pra vc.

Nane-chan: às liberdade e coragem, acrescentaria VERDADE! Obrigada pela visita!

Pois é, Mônica... e cada um acaba interpretando de acordo com as lentes que usa! Bjão!

Ricardo Maciel, o QUERER é o verbo do desejo! E o DESEJO é o substantivo da vida! Obrigada!

Ariadna, devemos buscar essa nudez que tanto importa! Valeu pela partilha!

Pedro Paulo, resumiste muito bem e com muita clareza... é isso ai! Grande caminho: veredas! eis a vida...
Eu esperava mais de "A metaformose" tb... "O Processo" está na fila para leitura... rs.
Obrigada pela gentilteza; fico contente de saber que passa sempre por aqui! Bjão.

Igor, toma posse, toma! E seja feliz, nu e feliz! Bjão!

Valeu, Maurizio. Boa semana.

BAR DO BARDO disse...

Nudez da essência é A NUDEZ!

10!

Felicidades, Talita!

Lai Paiva disse...

Talita, de fato, despidos, todos podem se ver e se fazer ver em essência, se ter e se fazer ter sem limites castradores de emoções e sentimentos. Muito bom o poema. Gostei muito. Parabéns!!!

Eduardo Martins disse...

Vestimos as pessoas c/ nossas impressões que são desfeitas, ou ratificadas, com um conhecimento menos raso. Belo poema, permitiu-me viajar.
abraço

A.S. disse...

Talita,

Deixo-te o poema "Nudez", qua sairá no meu próximo livro:

Beijos...


NUDEZ


Há uma nudez
que assombra…
e, no ópio dos meus olhos,
há castanhos delírios,
insanos desejos
ocultos na retina…

Há a nudez
que fulmina!
Tinge de vermelho o meu peito
e circula exultante no fluxo do sangue…

Há a nudez que ilumina…
quando chegas, dissolvem-se as trevas.
Os sonhos tecem luz!


http://as-poliedro.blogspot.com/2009/05/nudez.html#links

Marjorie Bier disse...

Lembrei de Drummond: ser roubado é o mesmo que ser amado, só roubamos aquilo que nos falta. Que bonito! Besos

Janaina Amado disse...

Este foi o outro poema, Talita, que me tocou muito. Parabéns.

Adriana Godoy disse...

Que beleza de poema, acho que é o que todos queremos. Beijo.

. fina flor . disse...

algumas pessoas, nem despidas, se permitem ao encontro, o que é uma pena, né?

beijos, flor e boa semana

MM.

renata disse...

-
assim, fica mais fácil transparecer a alma.

bjos!

Adriana Karnal disse...

Esse é um encontro a olho nu.

Bill Falcão disse...

Isso aí, Talita! Em busca da essência!
Bjooooo!!!

Marjorie Bier disse...

"Foi tão bom te ver
rever-te
ver-te
como antes de rever-te
nos víamos"

Nelson Coelho de Castro

R.Vinicius disse...

"Se acaso eu pudesse editaria e publicaria em livro teus poemas."

Talita Prates disse...

Henrique, felicíssima com o "10"! :D Felicidades pra ti tb.

Lai, sem limites! Isso aí!

Eduardo, obrigada. Boa viagem, sempre...

Albino, salve "a nudez que ilumina"! Nus e iluminados, ee!

Marjorie, ainda estou pensando cá com meus botões se concordo com Drummond... :S / Besos!

Grata, Janaina e Dri Godoy!

Mônica: se é uma pena! De que vale a vida sem o encontro?!

Fica mais fácil sim, Re.

Adriana, olhos, corpos, almas, essências!

Isso aí, Bill! Vamo nessa! rs

Nossa, R. Vinícius! OBRIGADA!!!

Luciane disse...

Talitra, que liiindo! Amei. E como já foi dito acima, tu disse algo que é frequente sem cair no lugar comum... Adorei!
E parabéns pelo nosso dia 27 né?
Sucesso e alegria sempre!
Beijos daqui do Sul!

Mahria disse...

A nudez é perfeita.
Não há maneira melhor de se conhecer o interior.

Poema Lindo D+ como todos por aki


Bjinhos!!!

Renata de Aragão Lopes disse...

Talita querida,

dialoguei com este poema!
Minha fala se chama "Golpe de vista"
e está publicada hoje
lá no doce de lira.

Não deixa de ser também
uma pequena homenagem a você! : )

Um abração!

Marcelo Novaes disse...

Talita,



Ver para além do que o olho espera ou empresta é nobre tarefa...






Beijos,









Marcelo.

Lou Vilela disse...

Talita,

Li o poema da Renata e vim conferir o seu. Ambos, belíssimos poemas!

Lembraram-me Luigi Pirandello:

"Infelizmente, meu caro, faça o que fizer, dar-me-á sempre uma realidade à sua maneira, mesmo acreditando de boa-fé que é à minha maneira; e será, não digo que não; talvez seja; mas um «à minha maneira» que eu não conheço nem poderei nunca conhecer; que apenas você, que me vê de fora, conhecerá: portanto, um «à minha maneira» para si, não um «à minha maneira para mim»."


Abraços,
Lou

NDORETTO disse...

Você foi perfeita nisto:

"Quero ver-te na tua exatidão
e profundidade,
sem as lentes distorcidas
de expectativas que são minhas".


Perfeita, vestiu como camiseta: justinho.

bjs
Nd

Lualves disse...

Talita,

Registro aqui minha primeira visita ao seu blog. Bom gosto e qualidade. Parabéns.

Quanto a esse Poema, nada a dizer...apenas degustar.

Sigamos em frente.

Lualves

tonhOliveira disse...

Olho na cara
cara no olho!

Cara...!
Beijos!

Rafaela Figueiredo disse...

ahhh... agora é releitura...

=*

 
;