6 de jun de 2012

Do que ascende


hoje vi um menino
riscando um fósforo
e apontando para o céu.
(acho que ele queria acender uma estrela.)

t. prates

12 comentários:

Fabrício Franco disse...

A gente passa um tempo sem vir por aqui (culpa toda sua, que nos mantêm nessa dieta minguada de atualizações) e quando vem, tem essa surpresa boa: a contundência da beleza condensada.

Beijos, Poetisa!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

cê viu a imagem do meu último post?
haha

conexão de pensamentos mesmo :)

beijo, sua linda

Suu Munizz disse...

Linda poesia!Pelo ou menos aqui acendeu um sorriso!!!^^
primeira vez aqui e adorei conhecer o blog,muito bom esse teu jeito de escrever!
um bom fim de semana,abraço,=)

Poeta da Colina disse...

Ele vai descobrir que não precisa ir tão longe assim.

José María Souza Costa disse...

CONVITE

Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. Palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. Mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
Abraços do
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Alicia disse...

poetisa do século, talita.
pqp.

J.F. de Souza disse...

luz
que a estrela há de ver
quando não mais houver

D'angelo disse...

eu vi daqui, juro!!!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

saudade!
tsc.

Nayara .NY disse...

Imensidão em mim?
Sem fim...

Sempre!
Belo!

Bjo

jose ricardo oliveira disse...

simples e genial

Mário Lúcio disse...

Genial, simples, direto e analógico, parabéns, se possível dê uma olhada nos meus poemas: http://versosdaconsciencia.blogspot.com.br/

Grato

 
;