8 de mai de 2009

Da resignação


Vou só na estrada, com a lembrança do que não foi.
Minha noite escura se ilumina com estrelas brilhantes.
Meu dia luminoso traz sombras de nuvens.
Vou vivendo de contrários...
De uma esperança que me corrói,
porque não me leva a nenhum lugar.
De um amor a um Amor que não me faz conta.
Apego-me às pequenas coisas que trazem o sentido maior:
os poucos amigos
a poesia
a música
a arte.
Resigno-me.


Talita Prates,
19.11.08


9 comentários:

Kenia Cris disse...

Linda gravura e poema delicioso. Na esperança de que dias melhores virão, faço como vc, me apego a a pequenos prazeres com significados maiores e eternos. Vc citou todos eles. Beijoca Talita!

drak disse...

bonito escrito saludos desde mexico

arte y tortas aqui

Renata de Aragão Lopes disse...

Viver de contrários: construção interessante.
Belo dia pra você!

ParadoXos disse...

mais uma vez a te saborear...
- em delícia de versos...



beijos grandes!

Lo. disse...

E eu acho que às vezes até resignar é importante!

iilógico disse...

e eu vivo de ler seu blog!

Nathália disse...

Ai... Música. *-*

Kenia Cris disse...

Talita, olha eu aqui novamente. Tem um selo pra vc no meu blog. Deve receber mtos, talvez até já tenha recebido esse, nem sei se vc usa mas repassei pra vc. Abraço apertado com ternura!

Lúcia disse...

Olá Talita! Passei pra conhecer o espaço e gostei da arte que encontrei aqui. Ah, sim, essa arte é capaz de dar sentido à vida... a ela tenho procurado me apegar novamente. Espero ser bem sucedida!
Parabéns pelo espaço,
beijos!

 
;