16 de ago de 2011

Do salto, queda, fim e náusea

, porque eu quero esquecer esquecer esquecer esquecer esquecer esquecer esquecer esquecer e eu admito ter que usar um monte de clichê para te dizer da minha revolta, que é tão apaixonada, e eu não acho difícil esquecer o que foi vivido; o pior é confiar no futuro, no que ainda é possível (ou não) de ser vivido depois de o vivido-de-fato ter me doído tanto e tanto e o sabor é tão amargo (juro que sinto um gosto amargo na boca ao escrever/sentir tudo isso), e eu abomino que você realize com a-que-não-sou-eu os planos que fizemos para nós dois - que pensassem em planos, rotas e lugares outros, porra!, você sabe a crueldade que é macular até um sonho? não, você não sabe, porque essa tua ingenuidade é egoísta e irresponsável, ah, como esse teu esforço de bondade me irrita!, como a labilidade dos teus lábios e afetos me convence!, e eu queria te ferir como eu fiz com os cartões que você me deu, que, amassados, nunca mais poderão prometer a ninguém o que quer que seja, nem mesmo um amor intenso e errado como foi o nosso, que serviu de 'experiência' para você e te abriu os olhos para um monte de coisa que você tinha o dever de ter olhado antes de me meter no meio da tua vida (esse amargo na boca me dá náuseas, assim como me enjoa reler as frases que você citou para mim e ouvir as músicas que você me ofereceu - não que eu o faça de propósito - por mim essas frases e canções poderiam desaparecer) e me vem uma ânsia legítima de te perdoar (me disseram que não é questão de perdão, mas eu já nem sei), mas o meu ódio te ama tanto que eu ainda não consigo, e eu só faço lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar lembrar da urgência de te esquecer, para poder seguir adiante, como eu me/te prometi. e eu... e você... 
e o salto, 
e a queda,
e o fim,

t. prates, julho/2011.

16 comentários:

Prof. Paloma disse...

Magnífico!!!!

Carina B. disse...

Sempre me impressiona sua capacidade de tornar belos os momentos tristes.

"lembrar da urgência de te esquecer" é só uma das muitas frases lindas, tristes e verdadeiras.

Emocionante, Tá.

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

"você sabe a crueldade que é macular até um sonho?"

A capacidade de você legitimar seus sentimentos mais humanos neste denso amargo verbal é admirável e exigiria uma reflexão de minha parte mais cuidadosa, entretanto os limites deste espaço a impedem. Limito-me então a dizer que, neste texto, a intensa confusão de sentimentos antagônicos - o ódio que ama - e sensações dá o tom de sua revolta.
Sonhos são fortes quando nutridos no coração, porém são delicados. Poucos são sensíveis ao valor dos sonhos, que nos permite escapar, momentaneamente, da realidade e fazer projeções de nossa felicidade.
No entanto, é preciso reconhecer que o ódio que ama é apego; para continuar vivendo é necessário o desapego - digo, com minha amiga Rafa, desapego a tudo que não nos serve.

Beijos consoladores!

Garibalda disse...

Olá,

Achei teu espaço bacana e convido vc a visitar meu blog que acabou de ser criado

ate mais
Sigo-te

Poeta da Colina disse...

Só fica para trás o que fica em paz. E algo sempre permanecerá contigo.

O mundo não é tão absoluto depois que descobrimos o significado do "você"

Rafaela Figueiredo disse...

aff, florinha...
nem vou comentar [já comentando]...

MIRZE disse...

Talita poetíssima!

É duro, eu sei, mas também sei que você é forte. Não quero desiludir ninguém mas eu odeio amar.

Beijos

Mirze

Gislãne Gonçalves disse...

Todos entendemos estas palavras e acima de tudo esses sentimentos

:)

Adriana Godoy disse...

Talita, muito forte e belo e triste essa catarse de amor/ódio. Toca fundo na gente. Se não for o eu-lírico, força, amiga!

"tudo cura o tempo"

Beijo

Iara - Filha do Céu!!! disse...

Meu Deus!!!

Arrepio se sente, mas é muito difícil transparecer ao outro que não viu o arrepio ou ainda a imensa emoção que tuas palavras causaram em mim!

Lindeza, tudo lindeza, e uma coisa eu tenho de lhe dizer, ou melhor, dizer ao "dono" do poema: Burro! Olha só a maravilha que tu perdes!
Bom partindo das palavras sábias de uma acompanhadora no Agapeterapia: - Parta do princípio que os homens são fracos! Daí tudo fica mais fácil!!! rsrsr
Abençoada tarde!

Adriana Karnal disse...

q forte, amiga!!!

Gabriela Castro disse...

Já vi meu sonho se realizar na vida de outra pessoa e, pior que o amargo na boca, é o amargo do coração. Isso também passa.

Luana Barcelos Dantas disse...

Parece que você está mais com a vaidade ferida por ter tido a expectativa frustrada...
Você ama essa pessoa , mas não quer mais amá-la, não quer mais confiar nela e tem medo de sofrer novamente ou ser enganada.
Insensato coração!!!!
É preciso superar essa fase...bola para frente...


Beijos, Luana Barcelos

Talita Prates disse...

Cara Luana,

penso que sim - a vaidade se fere. mas também penso que é mais que isso, é mais que uma questão narcísica.
aliás, por mais que eu escreva, a tradução do sentir sempre fica aquém do real. limitações próprias da palavra...

Agradeço a visita,

Talita.

Lai Paiva disse...

Puuutz Tata, que belo tapa na cara. Até desabafando seu desamor, ou amor, que seja, vc poetiza de uma forma espetacular. Muito bom querida. Beijo

Sandra disse...

compreendo perfeitamente, é exatamente o que to sentindo, a dor mais profunda, a exaustão, a náusea, o desejo... dói, dá vontade bater, de machucar, de ferir profundo, de ter pra si no mais intimo, é ciume, é amor, é odio, é inveja...

 
;