8 de jun de 2011

Do fingir autêntico


, como se tudo o que eu soubesse fosse fingir.
mas não é um fingir hipócrita, de intenção pensadamente enganosa. (quem dera fosse engano.)
é um fingir autêntico. desesperado. resiliente.
finjo palavras. forjo sentires.
finjo sorrisos. forjo desamor.
mas não é um desamor autêntico, de motivação intrinsecamente odiosa.
é um desamor hipócrita. falso. fingido.
eu forjo desamor para tentar fingir que a vida segue inócua. sem rasuras. remediada.
mas eu (te) amo.
(você não me ensinou a desamar.)

(A noite vem.)
A noite vem.
e quando cessam as luzes, os sons, as imagens, as esperanças, não se foge à solidão.
solidão é imune ao escuro.
e eu, cansada e inteira, lembro-me que eu havia fingido.
fingido para escapar. para (sobre)viver. para me misturar às matizes do dia para enganar a dor.
(Mas a noite vem.)
E olho, desa(r)mada, os olhos que antes sorriam - hipócritas. Hipocrisia me faz chorar.
(De tanto fingir, quem sabe um dia eu me surpreendo com a cura. Até lá, preciso seguir distraída.)

Amanhã tem dia.
É preciso que os olhos estejam secos.

t. prates



"O anel que tu me deste
era de vidro e se quebrou
e o amor não acabou,
mas em lugar de,
o ódio dos que amam."
[Clarice Lispector
na crônica Tempestade de almas]

Imagem daqui.

12 comentários:

Fabrício Franco disse...

Marcel Duchamps dizia que se o amor que havia tornou-se ódio, é porque nunca fora amor. Assim acredito. Amor, para mim, liberta. Ainda que a frase seja um clichê abraçado com fervor pelos católicos carismáticos, eu acredito firmemente nela. Até mesmo porque se você se liberta daquilo que lhe pesa, faz mal (todo o desejo que não foi correspondido), você se abre para o que virá. O popular "a fila anda". E você (nós) também, andamos. Um pé depois do outro. Rumo a um novo dia. A saudade vem de sombra, atrás. Mas olhamos para frente - e o dia está lindo.

Beijo!

Camila Lourenço disse...

Menina...como vc escreve bem!
Parabéns!

bj!

Iara Silva Persi disse...

Que Riqueza!!!

Padre Fábio diz que as melhores, músicas poesias e demais obras poéticas surgem com mais intensidade na dor!!!
E ainda pedia: Sofram poetas!!!

Que você encontre a "cura" amiga! Minhas Orações sobem aos Céus por ti e hão de ser atendidas. A sua "cura", é o que
peço, penso que assim Deus saberá o que for melhor para ti (Xíiiiii, esqueci que você está brigado com ele, mas tem
nada não, ele ainda assim te ama e derrama bençãos sobre ti), ainda que não percebas, Deus cuida de ti (de nós) ...

Enquanto a "cura" não chega, você continua nos presentiando com estas preciosidades!!!

Parabéns!!!

Carina B. disse...

Talita (uso o nome todo não como bronca, mas para dar seriedade ao que vou escrever.),
transformar a dor em poesia como você faz é para pouquíssimos. O amor não é bonito, nem a dor muito menos, e é necessário fingir, muito, muitas vezes. Mas em alguns momentos aquilo que fingimos nos inscreve de tal forma no mundo que se torna verdadeiro.

Eu não acredito que o amor morra sozinho, de "morte morrida". Às vezes o matamos lentamente, sem nem perceber, e em outras precisamos tomar a decisão de assassiná-lo brutalmente e continuar fazendo-o até que ele não tenha mais vidas para acordar o coração no dia seguinte.

O consolo é que isso um dia acontece. E também que em outro dia, o amor te acordará com olhos molhados, mas de felicidade.

Um beijo carinhoso.

Rafaela Figueiredo disse...

ô, florinha,
o [des]amor [no escuro] assume formas estranhas mesmo.

não deixa teu lema de lado. lembra?

a vida são noites e dias, em busca de - não à espera!

amo-te. e quero bem.
sem mais.

Eduardo Trindade disse...

De tanto fingir, acabamos sendo autênticos.
Genial, minha cara. Eu estava com saudades de vir aqui, saudades das tuas palavras.
Abraços!

J.F. de Souza disse...

fingir dor é mesmo coisa de poeta.

esse escrito me doeu um tanto. por ser autêntico. autenticidade é força. como também o é a hipocrisia: outra força. antagônica.

é forte, sem dúvida, esse escrito. bateu forte aqui.

=*

Lara Amaral disse...

Até para fingir tem de ser sincero, carregar a convicção, os porquês.

Lindo o novo template.

Beijo!

Poeta da Colina disse...

Ainda bem, a supresa está no próximo.

Poeta da Colina disse...

oops, confusão na hora de comentar. Ignorando o acima.

Evitar o sentir, só o transforma em lágrimas.

Franzé Oliveira disse...

Oie, LINDO TUDO AQUI.

http://franzeoliveira.blogspot.com/2011/05/outros-e-eu.html

Eduardo Fonseca Muñoz disse...

Gosté muito do seu blog.
Saludos cordiales

 
;