23 de ago de 2010

Do poder poético




decreto
(pois que n'um poema eu posso tudo)
a existência do verbo
(e da experiência,
que é o mais importante)
p o e m a r.
(eu poema,
tu poemas,
ele poema,
... e etc.,
para todos os sujeitos e tempos.)

afinal,
tudo posso
no poema
que me esclarece.

t. prates

Imagem:
Tilemahos Efthimiadis

Nenhum comentário:

 
;