13 de ago de 2010

Da faxina



todo dia de manhã
ela limpava
esfregava
remexia
asseava
enxaguava
alvejava
aparava
encerava
purificava
o sentimento.
não gostava de amor empoeirado.
o zé?
o zé felizmente fazia a parte dele
e não entrava em casa com os pés sujos.


t.prates



"Todos os dias, quando acordo,
vou correndo tirar a poeira da palavra amor..."
(Clarice Lispector)

Imagem daqui, editada por mim.
Poema originalmente publicado na Confraria dos Trouxas.

Nenhum comentário:

 
;