29 de dez de 2009 32 Declarações de outras almas

Do nome da história


Em janeiro, "História da minha alma" completa um ano.
Mais que um ano de histórias particulares, foi um tempo de partilhas.
Por isso, a comemoração que desejo não poderia ser diferente:
quero ouvir-te!

Se a história da tua alma tivesse um nome, um título, qual seria?






Republico aqui um poemeto que fiz recentemente,
cuja essência traduz o que esse um ano de blog significou para mim:

se a minha alma
proseou com a tua,
então ela
já fez história.
24 de dez de 2009 31 Declarações de outras almas

Do peregrino sem estrela


corpo franzino
pernas arqueadas
apóia-se num pedaço de pau
tão arqueado quanto às pernas.
beira a estrada
e vai.
fazemos o mesmo caminho,
mas o nosso caminho não é o mesmo.
vou co-memorar.
e ele, para onde irá?
não parei o carro
(a gente se acostuma ao absurdo).
na estrada
continuei, fui.
fizemos o mesmo caminho,
mas o nosso caminho não é o mesmo.
talvez ele não saiba que é natal.
talvez eu não saiba que é natal.
talvez ninguém saiba que é natal.
18 de dez de 2009 27 Declarações de outras almas

Da poesia nossa


no instante mesmo
em que for colocado
o ponto que
(grafica-mente)
finaliza este poema,
ele já não mais
me pertencerá
.

se não for minha-e-tua,
a poesia não é poesia:
é quimera muda
...





A verdade de um poema não está
apenas no que a alma-poeta quer dizer:
importa - tanto quanto -
o entendimento particular da alma-leitora.
12 de dez de 2009 33 Declarações de outras almas

Da chuva vital


Chuva
beija chão
e faz brotar cheiro.

Vento
sopra vão
e faz soar voz.

Chão
acomoda semente
e faz multiplicar vida.
t. prates

> Tentando tirar alguma poesia de tanta chuva... rs.
10 de dez de 2009 32 Declarações de outras almas

Da prosa com o sol, o canto, o céu: sugestão aceita!


e se amor só tiver cor com dor?
(tipo (b)ônus?)

se eu puder
(metida que sou!)
escolher uma cor
para o meu,
quero o branco -
que (metido!)
contém todas as outras.


Poemeto-diálogo com o poema da queridíssima Cynthia,
do blog Sol sobre, publicado em 30/11/09.

*
é que ela me ensina sempre
que a vida já vale
pelos pequenos-sorrisos-de-canto-de-boca.


Poemeto-retribuição à bonita da Renata Carneiro, do blog
Canto de detalhes,
que sempre me oferece "pequenos" mimos.

*
será mesmo triste a nossa sina
de sermos cantadoras do tema-teimoso
tendo ao nosso lado
Drummond, Clarice,
Florbela
e outras tão ilustres Pessoa(s)?


Poemeto-resposta para a flor estonteante da Marjorie Bier, do blog
Céu da Boca.

*
se a minha alma
proseou com a tua,
então ela
já fez história.


Poemeto-homenagem à clariceana rafa-lóri, Rafaela Figueiredo,
do blog ler ou não ler: eis a sugestão, pelo carinho da postagem de 26/11/09.
5 de dez de 2009 33 Declarações de outras almas

Do(a) desfeito(a)


...
é que estou tentando calar
esse poema de amor
(de-amor?)
(de-des-amor?)
cujo começo
"Ousaste despertar em mim
uma esperança vã"
já me desagrada;
desagrada-me -
agora -
falar da esperança vã;
desagrada-me esse tema -
teimoso -
pois que agora -
e daí pra frente -
eu quero falar
(eu quero viver!)
da (a) realidade - sã.
t. prates

Imagem própria.
 
;