12 de dez de 2009

Da chuva vital


Chuva
beija chão
e faz brotar cheiro.

Vento
sopra vão
e faz soar voz.

Chão
acomoda semente
e faz multiplicar vida.
t. prates

> Tentando tirar alguma poesia de tanta chuva... rs.

33 comentários:

J.F. de Souza disse...

porque a chuva não está só pra atrapalhar a nossa... =)

=*

Albuquerque Júnior disse...

As artes sempre retrataram a tristeza dos povos, expressaram um momento doloroso das sociedades. Isso é histórico. por isso seu teor de "tocante", "cativante"...

Entre as artes, a música é a que mais queima (pelo menos minha alma, que também canto e toco). Mesmo nos momentos penosos, recebo uma bela canção como a fumaça que subia - em tempos veterotestamentários - à presença de um Deus altíssimo e único, representação Sua aceitação do louvor de um povo hebreu e errante, mas escolhido.

acessei teu link de áudio... *tudo isso pra te dizer que esse piano de armário apenas canaliza até nós um instrumento maior e mais poderoso: teu coração. Cuide bem dele, pois é dele que "procedem as saídas da vida", e é nele que o grande arquiteto do universo fecunda a arte: da poesia e da música.

Forte abraço,

de Minas, té...

Adolfo Payés disse...

Hermosos tus versos.. la lluvia que nos acaricia el alma..
Un beso..


Un gusto leerte

Un abrazo
Saludos fraternos

Lara Amaral disse...

Então conseguiu tirar uma das poesias mais lindas suas.

Amei, querida! Quão singela se mostrou!

Beijos.

Taw disse...

Eita... conseguiu! Ficou muito legal! xD

:-P

Tiago Moralles disse...

A chuva faz brotar cheiro.
Nossa, isso é tão nostálgico.
Adoro.

renata carneiro disse...

a chuva lava: leva o que mora no agora, guarda o que na lembrança mora, cria uma saudade do que ainda não se sabe se demora.

deixa lavar...

um beijo, minha querida!

marjoriebier disse...

E, no fim, a gente se dá conta que quem abraça a vida é a semente, não a terra... sua sede me comove até o meu milésimo avô.

Que lindo, Tá!

beijo

Franzé Oliveira disse...

Gosto de chuva
Gosto da brisa suave
Gosto do cheiro da terra molhada


Bjos menina.

Adriana Karnal disse...

gostei da escolha de palavras...chão-cheiro, vão -voz. E a semente que é vida, inesperada combinação.Belo,Talita.

Luciane Slomka disse...

Querida...ha quanto tempo minha alma não vem aqui deixar um recadinho para a tua...mas ela passa por aqui sempre, saiba disso!

Que a chuva, o chão e o vento te façam brotar muito, minha amiga, que levem a voz da tua alma para bem longe, mas que tu sempre a encontre pura, bem aí, dentro de ti.

Um beijo com meu carinho e minha admiração por esse teu espaço tão lindo...

Mai disse...

Sonoro e cjeiroso um poema de ciclos. Abraços, querida.

Rafaela Figueiredo disse...

adorooo!
chuva sempre traz boa coisa (poeticamente falando) como essa (pq por aí fora, nem sempre, né? nem sempre... "/ )

beijão, li!
boa semana

Geraldo de Barros disse...

Que maravilha de poema, Talita, parabéns! Lindo mesmo!

Beijos e uma ótima semana,
Geraldo.

Mariah??? disse...

o pessoal do Jardi Romano é que não gosta. depois de 1 semana do dilúvio paulistano, ainda estão debaixo d'água.

Marcelo disse...

Caramba! Poema lindíssimo!


Gosto muito dessa sua maneira original de escrever!

[A filha do Leminski?]

A Moni. disse...

É ciclo.
Pronto! Todos os ingredientes necessários.

Poema completo!

sopro, vento, ventania disse...

tudo misturado, então... a certeza do recomeço. Fiquei um tempo sem vir aqui e eis que fui, mais uma vez, surpreendida por um texto inusitado: nunca sei, Talita querida, se encontrarei em seu blog algo doce ou contundente, ou doce e contundente, mas sempre encontro "A"lgo para guardar no coração alegre ou no peito doído.
bjs.

Lai Paiva disse...

Talita querida, admiravelmente você tirou poesia da chuva forte sim... E ficou sutil e lindo! Bjs

Kárita disse...

Adorei aqui!!!!!!
Voltarei mais vezes!!!

ticoético disse...

enfim consegui comentar ;D
Gostei muito da poesia,enfim,até as chuvas que causaram enchentes nos últimos dias,devem trazer algo de bom,enfim²,bela poesia e belo blog.
abraço (:

Caio Rudá disse...

Talita
escreve sútil
e faz boa poesia


Sou suspeito pra falar pois adoro a chuva e tudo que se refere a ela, hehe.

Maria João disse...

Talita..

Este é o segredo, o ciclo de vida maravilhosamente repetível.

Um beijinho

Renata de Aragão Lopes disse...

"Tentando tirar
alguma poesia de tanta chuva."

E conseguindo! : )

Lindas a aliteração
da primeira estrofe
e a verdade
do poema inteiro.

Um beijo, amiga!

Polly disse...

Achei que o mundo fosse acabar antes do dia 12 achegar. O dia 12/12 veio e a chuva brotou despedida, soprou um grito e matou um sentimento, que era quase uma vida.

Rafaela Figueiredo disse...

Liii(nda),
meus poeminhas são meros ensaios perto dos seus...

bem, um pra vc:

(A)LI

(sorte?)
encontrei a Li
por estes cantosdedeus.
(anjo!)
se não fosse ali,
agora, aqui, os versos meus
seriam
meros trocadilhos
— estribilhos —
pra gentil canção
(inata)
— nosso cordial idílio —
dos amenos gestos seus.


te adoro, flô!
beijobeijo

Pedro Antônio disse...

Realmente... o seu blog é o máximo!!

Um abração!

Pedro Antônio

Paulo Tamburro disse...

OI TALITA, realmente a chuva tem sido intensa aí em São Paulo e serve também para demonstrar as grandes mazelas destes irmãos e trabalhadores paulistas.

Tenho visto na televisão que, bairros inteiros, muitos dias após terem cessadas as chuvas, continuarem inundados.

Se isto acontece no Estado que é a LOCOMOTIVA DO BRASIL, imagine em áreas mais carentes deste nosso adorado solo de mãe tão gentil!

Uma irresponsabilidade!

Porém,exatamente como você disse é preciso "tirar alguma poesia de tanta chuva" e esperar que políticos e as autoridades em geral, cumpram o seu papel!

Sabe TALITA, eu também não gosto muito destas excessivas execrações pública da classe política, porque convivi durante os vinte anos de excepecionalidade do regime democrático, de ditadura, e posso lhe garantir, que nada substitui a democracia.

E para haver democracia devemos eleger os melhores candidatos, provocarmos uma verdadeira enchente de votos em homens e políticos de bem que existem as centenas e expurgarmos os Malufes da vida!

Enfim,como vê a chuva dá poesia , discussão política, pois você está certa,ela "faz multiplicar vida".

Um abração carioca, feliz Natal e fique com DEUS!

Kanauã Kaluanã disse...

Ouvi os pingos...
Segui o cheiro - aroma da terra -
e aqui des[fruto] de uma poética que apetece acompanhar...

Parabenizo-te pelo espaço.

Um abraço.

Katyuscia.

sauvage27 disse...

200 ....
Buone Feste...
un abbbraccio e un bacio .....
con infinita simpatia...
Loris ... Italia ......

Talita Prates disse...

J.F. de Souza, é verdade, não está só para atrapalhar...

*

Albuquerque, MUITO obrigada por vir e pelo comentário.

*

Gostei, Adolfo: a chuva que nos acaricia a alma!

*

Querida Lara que transborda gentileza, que bom que curtiu!

*

Taw, valeu! :D

*

Tiago, pra mim é um cheiro tanto nostálgico quanto atual. Grata por vir...

*

re, que coisa mais linda que escreveste! adorei!

*

Ma, salve a sede!

*

Franzé, também gosto! :)

*

Adriana, fico feliz em saber que você gostou! Considero muito suas críticas.

*

Lu, eu estava MORRENDO de saudade de ouvir a tua alma falar com a minha... não me deixe só!!! rsrsrs. QUE BOM QUE VC VEIO! \o/

Talita Prates disse...

Mai, adorei o "cheiroso"! rs.

*

É, Rafa, nem sempre...

*

Geraldo, que gentil!

*

BAR DO BARDO disse...

Gostei bastante, cara!

 
;