13 de jan de 2012

Da sol-idão e lua



[haicai diurno]

sob o sol do meio-dia
solidão é quente e farta 
nem sombra faz companhia. 



[haicai noturno]

meia-noite sob o céu
solidão é clara e mansa
pinto a lua no papel.



t. prates

10 comentários:

Fabrício Franco disse...

Bashô não poderia estar mais orgulhoso!

Gostei tanto do diurno!

Beijos, poetisa!

Contradita disse...

Impossível ficar indiferente a sua poesia.

Geralmente, durante o dia fico distraída pelo sol e pela vida.

Quando anoitece, minhas lembranças feito corujas, saem para caçar.

=)

Poeta da Colina disse...

Solidão que acorda, também deita.

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

sua linda!
solidão tb faz companhia; aqui, pinta contigo esses versos tão sentidos.

beijo-pulo.
(L)

Alicia disse...

sol idão
é sempre sol
nem sempre esquenta
nem sempre ilumina

quando crescer quero escrever que nem vc.

Úrsula Avner disse...

admiráveis e bonitos versos Talita ! Sempre aprecio sua escrita poética. Bj.

Úrsula Avner disse...

admiráveis e bonitos versos Talita ! Sempre aprecio sua escrita poética. Bj.

Renata de Aragão Lopes disse...

Adoro haicais.
Adoro solidão.
Adoro versos seus!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Talita,

Sim, concordo contigo e com Clarisse Lispector: Escrever é uma maldição que salva.".

On The Rocks. disse...

gostei do que você disse em seu perfil. dos poemas, também.

 
;