18 de jan de 2012

Da canção recantada

Segue minha versão alternativa para Eu te amo, do Chico e do Tom.
Quem quiser cantarolar junto, aproveite o vídeo abaixo, com um instrumental lindo, no violão, da canção.



Eu não te amo 


ah, já é tão tarde pra dizer que é cedo 
e o que está dentro ainda causa medo; 
te peço agora que me deixes ir. 

 ah, se ao me conhecer 
perdeste os sonhos e teus devaneios, 
se aos meus rios teu barco é alheio 
te digo que é hora de seguir. 

se'os nós do teu passado ainda são presentes 
se eles te fazem, de nós, tão ausente, 
estrada não há melhor que a de partir. 

se meu coração não foi pra ti um céu, 
se, teu destino, tu crês num papel 
a minha sorte é poder esquecer. 

quando eu ponho ordem nas minhas gavetas 
tuas cartas risco com minhas canetas 
para impedir tuas letras de viver. 

quando o nosso amor eu supus tão divino 
teus atos me alertaram o desatino, 
mas já'era tarde pra tentar fugir. 

sim, tanto me salva me fingir de tonta 
negar o amor pra te fazer afronta, 
agora conta: como hei de mentir? 


(PS: que Tom e Chico me perdoem a heresia desse re-canto.) 
(PS 2: paródia escrita especialmente para participação no blog Confraria dos Trouxas, que propôs a escrita de um texto a partir da canção dos mestres.) 


t. prates

16 comentários:

Dario B. disse...

Não passa vergonha se confrontada com o original, gostei de verdade. Um beijo.

Bárbara Mendes disse...

Também gostei muito.

Fabio Rocha disse...

Gosto de suas fases românticas. :) bjs

Marcos Satoru Kawanami disse...

Talita,

Este poema nos reporta à canção intitulada Acontece, de Cartola.

joiou
Satoru

Rafaela Figueiredo disse...

ai, flor...
como amar uma música tão avessa àquela já tão amada?

eu amei!
sem mais.

Fred Caju disse...

Não gostei do seu PS... Poesia não tem que pedir licença pra ninguém. Ficou massa.

Karla Fioravante disse...

Me morreria também se ao cantá-la pudesse usar dessa versão! ;)

Elisa Cunha disse...

Acho que posso cantá-la assim, também, de vez em quando...

Luciane Slomka disse...

Amei a liberdade! Ah, e amei a tua definição sobre ti: a vida é P e eu visto G. Sensacional, minha amiga! Beijo!

Sabrina Andrade disse...

Muito lindo. O texto, o blog: tudo ♥
Estou seguindo (:

saahandradee.blogspot.com

Felicidade Clandestina disse...

vou guardar essa letra :) neste momento, é a que me cabe mais.

Contradita disse...

Tem uma alma linda nesse texto
um sentimento, vários gritando
um maremoto de criatividade
um apelo
um suspiro
um momento
uma música
um poema
uma prosa
um desafio

Tem a minha admiração


E aqui nos comentários um beijo para ti.

Adriana Godoy disse...

Tem de tudo mesmo, inclusive, poesia. Beijo

serra de alencar, gabriela disse...

Quem precisa de rimas com tanta lírica entre os versos?

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!
É um grande prazer conhecer seu blog e poder ler o que escreves.
Acredito que quando escrevemos com prazer conquistamos amigos e fiéis amantes das palavras. Sabemos o quanto é difícil levar a nossa voz, as nossas angustias os nossos sonhos às pessoas. Mas o mais importante é saber que você e eu gostamos daquilo que fazemos.E acreditamos que o mundo pode se tornar bem melhor através de nossos escritos.
Grande abraço
Se cuida

Mand Lima disse...

Simplesmente linda *-*
Você escreve demais !

 
;