27 de nov de 2011

D'uma curta não-história de amor


(Prólogo)
Foram feitos um para o outro.

(Corpo)
Ela acreditava em acaso, ele em providência divina.

(Epílogo)
Nunca se encontraram.

t. prates

11 comentários:

Ígor Andrade disse...

A beleza em poucas linhas...
Minha heroína!
Abraço!

Rafaela Figueiredo disse...

haha
verdadeiro "era uma vez" pós-moderno!

adorei!!

(L)

Letícia disse...

Olhares apressados, perdem grandes oportunidades...

Bom mesmo é olhar devagar e vê as possibilidades que pode trazer felicidade...

Há beleza nos encontros... Nos olhares que sabem ver...

Beijinhos

marcela disse...

quantos olham e não vêm...

Renata de Aragão Lopes disse...

Prefiro crer num equívoco:
não haviam sido feitos
um para o outro.

Sua amiga-fã,


http://docedelira.blogspot.com

Moni Saraiva disse...

Ah, essa falta de encaixe.
O mundo poderia ser de Lego, não?
...
Não. Acho melhor não...
rs

Beijo, Tá, querideza!

Maya Quaresma disse...

Concordo com o comentário acima...Pessoas que seriam perfeitas juntas, mas que não se encontram de jeito algum. Sempre há alguém que nos preencha, só que algumas pessoas nunca irão conhecê-las.

Beijos!

Fabrício Franco disse...

Poetisa,

... Enquanto você cronica o que quase houve, novembro me traz o que brevemente se prometeu haver...

Novembro não é mês de relacionamentos, definitivamente...

Almi Júnior disse...

Sei lá, em novembro me apaixonei e perdi quem amava. Esse ano, no mesmo mês, me apaixonei de novo. Fiquei com medo, porque é verdade...

"Novembro não é mês de relacionamentos, definitivamente..."

Mary Pereira disse...

eu encontro colo no que você escreve, Talita. Isso é fato.

sempre um aconchego te ler.

Lindo, lindo e lindo!

Beijos!

Felicidade Clandestina disse...

poucas palavras para dizer tanto... ou nada.

 
;