1 de set de 2011

Da vida possível



Comeu o pão que o Diabo amassou. 
Foi o que a salvou da fome. 
t. prates 
Imagem daqui.

12 comentários:

Leonardo B. disse...

[quantas vezes não a qualidade do fermento, nem a mão que amassa a farinha, que faz a diferença no pão de que se alimenta o nosso coração... quantas vezes?...]

um imenso abraço, Talita

Leonardo B.

Fernanda Fraga disse...

Simples, mas intenso!

Beijo

Gislãne Gonçalves disse...

Quantas vezes nós já comemos esse pão para não morrer?!

Beijos

Poeta da Colina disse...

A vida é mais crua que os significados.

MIRZE disse...

MUITOS SÃO OS SENTIDOS!

Lindo e forte!

Beijos

Mirze

Fabrício Franco disse...

Poetisa,

A poesia, apesar de bela (de você, sempre o é), apenas tangencia a crudelíssima verdade por detrás.

Até quando viveremos assim?

Beijos,

Fabrício

Lua Nova disse...

Intensamente verdadeiro... e triste em todos os sentido possíveis.
Beijokas e um bom fds.

Rafael Castellar das Neves disse...

É o que tem pra hoje...e não muito o que fazer...temos é que manter o caminhar...

Gostei!

[]s

Rafaela Figueiredo disse...

o bom é que "nem só de pão vive o homem".
às vezes, tem bolacha, bolo, 'soiiinho'... todos com recheios e coberturas de-li-ci-o-sos! =D

beijo, amada!
[SAUDADE]

Wania Victoria disse...

Talita


Poesia e imagem perfeitas!


Bj grande, amiga!

i ILÓGICO disse...

e tomou o que?

Lua Nova disse...

Passando pra dar um beijinho e pedir post novo... rsrsrrsrs
Beijokas.

 
;