30 de jul de 2011 26 Declarações de outras almas

Do a-cor-dar

Puro Color 

a
cor
dei
: azul para hoje
(de um céu convidativo)
: cinza para ontem
(de algumas lembranças sombrias)
: branco para amanhã
(com todas as possibilidades
de cor
em si).


t. prates


Inspirado em 
"A-cor-dar: dar ao dia a cor que a gente quiser.", tweet de Flávia Queiroz.
26 de jul de 2011 16 Declarações de outras almas

Da moça

foi-se o caso em que era uma vez a moça. a moça era. era tanto que se excedia em ser, e se atrapalhava toda quando tinha que estar.
estar exigia borda - havia de conter o ser para caber em si de forma a se dar
aos outros. dava-se de menos ou de mais - sempre errava na medida (talvez dar-se na medida seja a santidade/perfeição humana).
os outros. que não eram o inferno - havia candura no seu olhar-de-ver. ela olhava demais, de visão de dentro atenta para o fora profundo que são os outros.
dos outros se compadecia. não por ser melhor, mas por reconhecer a dificuldade própria no alheio: estão todos atrapalhados nas doses de si.
era uma vez a moça sendo. desmedida. mas sendo.

t. prates

Às moças Carina, Nanda e Geisa.

Imagem: Troche
19 de jul de 2011 15 Declarações de outras almas

Da morad(ia)


onde já não estarei
no momento segundo
em que teus olhos mudarem de
                                         verso
- também não estou .
só assim para (eu) me encontrar
: procure-me no caminho.

t. prates

Imagem: Troche
10 de jul de 2011 17 Declarações de outras almas

Do poemeto-e-sentimento dialético


Tese.
Eu te amo.

Antítese.
Eu te odeio.

Síntese.
Eu odeio te amar.


PS:
Há perdão para os que odeiam por amor?
Há perdão para os que plantam amor e deixam de cultivá-lo?
Espero que sim - para que eu possa, um dia, me/te perdoar.
3 de jul de 2011 11 Declarações de outras almas

Da vez que será


quero a vida um poema-conto
onde eu possa permutar verbos
riscar personagens
desenhar cenários
refazer cenas
vestir eu-líricos
    (como as máscaras descansam!)
E era uma vez.

mas a realidade assim dita:
há começo meio e fim, nessa ordem restrita;
não se sabe o momento oportuno de entrar/sair de cena;
as paisagens são de uma concretude opressiva
    - ainda que sublimes, muitas; medonhas, outras;
as vivências não se passam a limpo
e eu me propus a ser autêntica
    (como se ser cansa!)

(Eu queria plantar as flores de plástico,
mas elas não brotam.)

re(comecemos):
Será uma vez, várias vezes..............................

t. prates

Imagem daqui.
 
;