30 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Dos elementos de vida

cavou e encontrou
a palavra-tesouro
: terra.




voou e sorveu
a palavra-leve
: ar.

ardeu e forjou
a palavra-forte
: fogo.




mergulhou e bebeu
da palavra-fluida
: água.









amou e descobriu
a palavra-certa
: vida.


t. prates

Arte de Steve Gardner

*Poema originalmente publicado no blog "Maria Clara - SimplesMente Poesia"
23 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Do poder poético




decreto
(pois que n'um poema eu posso tudo)
a existência do verbo
(e da experiência,
que é o mais importante)
p o e m a r.
(eu poema,
tu poemas,
ele poema,
... e etc.,
para todos os sujeitos e tempos.)

afinal,
tudo posso
no poema
que me esclarece.

t. prates

Imagem:
Tilemahos Efthimiadis
17 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Da palavra matriz





t. prates


Imagem: Erica
13 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Da faxina



todo dia de manhã
ela limpava
esfregava
remexia
asseava
enxaguava
alvejava
aparava
encerava
purificava
o sentimento.
não gostava de amor empoeirado.
o zé?
o zé felizmente fazia a parte dele
e não entrava em casa com os pés sujos.


t.prates



"Todos os dias, quando acordo,
vou correndo tirar a poeira da palavra amor..."
(Clarice Lispector)

Imagem daqui, editada por mim.
Poema originalmente publicado na Confraria dos Trouxas.
4 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Da epifania



hoje o deus gritou comigo
no silêncio do quarto vazio
: talita cumi!*

obedeci.
(quem sou eu para não fazê-lo?!)

depois confiou-me
sussurrante ao ouvido
o segredo insondável dos céus e da terra
: aquele grito era meu.

t. prates

*"Menina, levanta-te", em hebraico.
Encontrado em Mc 5, 41.

1 de ago de 2010 0 Declarações de outras almas

Do soneto do amor intrépido




Admito a cadência vacilante
dos meus passos em tua direção.
O receio da dor, paralisante
quebra a marcha e confunde o coração.

E não é, senão, o amor aquele instante
que se salta, sem ver do abismo o chão?
Tal audácia não se exige do amante
que pretenda, para o amor, coroação?

Não há regra, certeza ou vantagem.
Grande é o risco, e maior a coragem
que se exige para este passo além.

Se às dúvidas e medos sobra margem
que o ousar seja a intrépida vantagem
de quem quer somar-se à vida de alguém.


t. prates

> Imagem: Martin Stranka
> Soneto originalmente publicado na Confraria dos Trouxas.
 
;