23 de mai de 2010 29 Declarações de outras almas

De feridas e belezas


esperar pelas flores
e saber possível a ferida pelo espinho

esperar pelo espinho
e saber possível a beleza das flores

nada esperar
- oxalá minh’alma com isso se contentasse

...

expectativas
: é possível calá-las
em nome de uma espera nua pelo porvir?


t. prates


Da não-espera acontecem as flores.
(Orides Fontela)
14 de mai de 2010 31 Declarações de outras almas

Da pausa

para ser,
além da Palavra.
6 de mai de 2010 37 Declarações de outras almas

Da canção-pra-te-esquecer (ou...)

já não sei que horas são;
perco-me nas rimas óbvias
(amor e dor / dor e amor)
desse meu choro cantante
que, com acordes dissonantes,
compõe um samba triste
em sol menor
(porque o Sol maior
se fez distante
no horizonte da desilusão).
E a canção-pra-te-esquecer
teima em se tornar
canção-pra-te-lembrar.
Já não basta
deixar de lado o violão,
porque
(bis)

t. prates

Imagem daqui.
Para ouvir um samba muito especial, aqui.
2 de mai de 2010 20 Declarações de outras almas

Das aprendizagens práticas


Ouve,


é que eu estou aprendendo a ser prática. Desse pragmatismo quase masculino (não estou fazendo um pré-conceito; isso é mesmo um elogio) que relega a um plano subalterno esses sentimentalismos onerosos e pouco saudáveis.
Estou aprendendo a parir força de um estado de semi-dor que, até então, eu tinha como estéril e que descobri ser a terra mais fecunda da minha alma.
Mais astuta que fênix, ouso dizer que tenho aprendido a renascer sem esperar as cinzas.

É que a verdade pode ser resplandecente, ouve! E pode alcançar o mais recôndito de mim e dos fatos: basta eu permitir. Basta eu não me fazer de cega. Ou surda.
Ouço a verdade me sondar. Tu também podes ouvir?

t. prates

>>> Tenho estado muito "de prosa" nos últimos tempos. Como é perceptível, os últimos textos têm um forte teor "catártico", e a prosa me tem sido maior aliada nessas circunstâncias. Espero que a Poesia venha me visitar em breve...

Imagem daqui.
 
;