26 de jun de 2009 15 Declarações de outras almas

Do poema emprestado

Também sempre quis, amiga,
um amor que me viesse cantiga.
Que me ninasse
ao cair da noite
e me cantarolasse
à moda antiga.
Um amor ameno,
a menos
quando assim não o quisesse.
Um amor que soubesse
fazer-se meu
sem que eu
tivesse de pedi-lo.
Sempre quis, de verdade,
um amor que não gostasse
disso ou daquilo.
Um amor que concordasse
em ir comigo a todo canto
apenas pela minha companhia.
E que me trouxesse
menos dissabores
e mais alegrias.
De todos os meus amores,
o que me desse mais carinho,
o que me quisesse sua
sob todas as luas.
Mas um amor
que soubesse estar sozinho.
Que tivesse
afazeres particulares,
alguns prazeres
de quando ainda menino.
Um amor leve
que compreendesse
a ausência breve
de quando me sinto poetisa.
Também sempre quis, Elisa,
um amor que me aplaudisse.
Um amor maduro
que não temesse
me perder por tolices.
Que, seguro,
ele me motivasse a ser mais,
desprezando o ciúme
que, vez ou outra, sentisse.
Um amor que me beijasse
com suas mãos
em meu rosto.
Que me deixasse
na boca
um gosto de céu.
Cadê esse amor
que não sai do papel?
Que encomenda é essa
que não vem?
Metade de mim se desespera.
A outra metade é só de espera,
seja lá o tempo que passe.
Ah, eu sempre quis um amor
que assim também me aguardasse.

Renata de Aragão Lopes*,
"Ao aguardo do amor"
confeiteira do "Doce de lira"

* Obrigadíssima, querida, pela permissão! Essas palavras foram/são tão "minhas", a partir do momento que as li, que senti a necessidade de colocá-las na história da minha alma.
Obrigada pela partilha poética. :)
17 de jun de 2009 23 Declarações de outras almas

Da (in)certeza

Estou certa
dos teus sentimentos
incertos.

Estou incerta
dos meus sonhos
tão certos.

T. Prates


Com todo perdão da palavra, eu sou um mistério para mim.”
Clarice, a psico.analista (e por quê não?!)
16 de jun de 2009 13 Declarações de outras almas

Das leis*



Lei da atração?
Que nada!
O que funciona mesmo é a Lei de Murphy!


* Tentando deixar esse blog menos sisudo. [:S]

PS: Ainda bem que minha feliz condição de mulher me faz ser "desdobrável", como disse Adélia. Com essa palavra profética, vou driblando todas as leis!
14 de jun de 2009 11 Declarações de outras almas

Da tibieza


Tenho pavor de ser um espécime medíocre da espécie humana.
Desses tipos comuns de
Pseudo-poetas
Quase-intelectuais
Pseudo-estudiosos
Quase-éticos
Pseudo-amigos
Quase-amados
Pseudo-amantes
Quase-gnósticos
Pseudo-verazes
Quase-fiéis
Pseudo-felizes
Quase-humanos,
porque mornos.
Porque o quase (muito menos o pseudo!) não me servem!

T.Prates


"Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive."

Ricardo Reis/Fernando Pessoa,
o poeta que, de tão inteiro,
chega – transbordante! -
a ser vários.
11 de jun de 2009 10 Declarações de outras almas

Do quando


eu gosto tanto de você
que até [preciso] esconder.
deixo assim ficar subentendido.


*** quando poderei gritar com todas as letras sons fonemas significantes notas músicas poemas a minha [irracional? ilógica? arriscada?] verdade?

[ouve!]
10 de jun de 2009 13 Declarações de outras almas

Do erro

A solução do problema da vida é a própria vida.
Não se realiza a vida pelo raciocínio e a análise, mas antes de tudo, vivendo.
Pois, enquanto não começamos a viver, falta à nossa prudência material com que trabalhar.
E, enquanto não erramos, não temos ainda os meios para atingir o êxito que esperamos.

Thomas Merton, Na liberdade da solidão


nunca cometo o mesmo erro duas vezes
já cometo duas três quatro cinco seis
até esse erro aprender
que só o erro tem vez.
paulo leminski
1 de jun de 2009 26 Declarações de outras almas

Do infinito



A palavra falta.
Falha
Escapa
E
s
c
o
r
r
e

Esmorece

Engana
Escasseia.

Em meu peito,

o sentimento transborda.
Sobra.
Inunda.
Entorna.
Extravasa.
Verte,
infinito.


>> Para ele, de novo.

T. Prates
 
;